A Mineropar concluiu o estudo geológico que delimita o Aqüífero Karst no Paraná, na região que compreende os municípios de Campo Largo, Almirante Tamandaré, Colombo, Campo Magro, Itaperuçu, Bocaiúva do Sul. O objetivo é preparar o aqüífero para torná-lo uma área de manancial, através de decreto a ser definido pelo governador Roberto Requião. O estudo teve a colaboração da Sanepar e da Suderhsa e servirá de apoio ao Plano de Desenvolvimento Integrado, sob a responsabidade da Comec.

No Paraná, o Karst abastece apenas Colombo e Almirante Tamandaré, mas o aqüífero tem potencial para fornecer água também para a região norte de Curitiba e áreas da Região Metropolitana que enfrentam problemas de abastecimento.

O diretor técnico da Mineropar, Rogério da Silva Felipe, explica que regulamentar a delimitação do Karst é importante porque, além de ampliar o abastecimento de água dos municípios, protege legalmente as áreas de ocupações.

A delimitação do Karst no Paraná abrange 584 quilômetros quadrados. O potencial aqüífero dessa área é de 5,2 metros cúbicos por segundo por quilômetro quadrado (ou 8,9 l/s/km2), que correspondem ao enchimento de um tambor de 60 litros de água em 12 segundos.