Integrantes da Via Campesina e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) promoveram ontem pela manhã um ato para relembrar um ano do assassinato do militante Valmir Mota de Oliveira, conhecido como Keno.

A mobilização aconteceu em Santa Tereza do Oeste, região de Cascavel, na antiga área da multinacional suíça Syngenta Seeds, que foi cedida na semana passada ao governo do Paraná.

Além de Keno, o segurança particular Fábio Ferreira de Souza também morreu durante conflito entre os sem terra e seguranças contratados pela empresa. Outras cinco pessoas ficaram feridas.

Cruz

Os manifestantes da qual, plantaram uma cruz de cedro -que pela tradição popular, brota uma nova árvore, simbolizando a continuidade da vida.