Juan Rodriguez: “Ainda há muita dúvida”.

No Paraná morreram 782 pessoas de câncer por mês em 2002. Como a prevenção é o primeiro passo para combater a doença, a Associação de Amparo ao Paciente de Hematologia e Oncologia do Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Federal do Paraná lançou ontem, Dia Mundial de Combate ao Câncer, um manual com informações sobre a patologia e dicas que podem ser adotadas no dia-a-dia para a prevenção. O material está sendo vendido por R$1,00 e a renda será revertida para o HC.

Médicos do HC passaram o dia de ontem na Boca Maldita falando sobre o Manual de Prevenção e Controle do Câncer. Segundo o pós-graduando em oncologia, Juan Manuel Rodriguez, a população ainda tem muitas dúvidas sobre o assunto, por isto ressalta a importância da produção desse tipo de material. “É preciso que as pessoas fiquem sempre alerta”, comenta.

Mas o objetivo do manual vai além das orientações e dicas. Ele também serve para desmistificar a doença. “Existe o preconceito de que o câncer não tem cura, que a pessoa morre sofrendo com dor e o diagnóstico sempre é feito tardiamente. Mas isso não é verdade”, fala.

No Brasil, país tropical, o câncer de maior incidência é o de pele, representando 25% do total. Mas, o que mais causa mortes é o de pulmão, tanto em homens como em mulheres perto dos 50 e 60 anos. Antigamente, nas mulheres o que mais gerava óbitos era o de mama. No entanto, agora que elas começaram a fumar igual aos homens o de pulmão é o que faz mais vítimas.O Instituto Nacional do Câncer aponta que, até o final de 2003, 126.968 pessoas vão morrer de algum tipo de câncer no Brasil.

Célio Silva, 18 anos, comprou um manual para dar para a mãe. “Ela já tem 40 anos, assim pode se prevenir”, comentou. Mas ele disse que não leria o livreto. Ele ainda não sabia que no material há uma relação de hábitos que podem ajudá-lo a prevenir a doença futuramente. O manual pode ser adquirido nos postos de combustível da Petrobrás, e aos domingos, em frente ao Memorial da Cidade no Largo da Ordem.