Desde março deste ano, pelo menos 6.334 motoristas já foram multados em Curitiba por estacionarem nas vagas especiais para idosos ou para portadores de deficiência. Duas leis federais garantem 5% das vagas de locais públicos para idosos, e 3%, para deficientes. As duas leis foram regulamentadas por resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) em 2008. Desde então, as administrações municipais começaram a fiscalizar a instalação das vagas por parte dos estabelecimentos privados.

Em Curitiba, a maior parte dos estabelecimentos já providenciou as vagas especiais, como informa o gestor de Fiscalização de Trânsito da Diretoria de Trânsito (Diretran), Adão José Lara Vieira. As resoluções, assim como as leis, trouxeram o modelo de sinalização e o prazo para os estabelecimentos. Em Curitiba, idosos e portadores de deficiência devem fazer uma credencial para utilizar as vagas. Até agora, 30 mil idosos já se cadastraram (mas a cidade conta com 60 mil idosos habilitados). Entre os deficientes, a Diretran já cadastrou 1.450 deles, e não tem um levantamento de quantos são no total.

O motorista que é pego usando uma vaga especial recebe multa de R$ 53,20, mais três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). E, ainda, o veículo é guinchado. A maior parte das multas já expedidas ocorreram nas vias públicas, segundo Vieira, onde há 487 vagas especiais (288 para idosos e 199, para portadores de deficiência). Outras cerca de 170 devem ser sinalizadas em breve. A credencial pode ser solicitada pela internet (www.urbs.curitiba.pr.gov.br).