londrina020405.jpg

Depois de assinar decreto,
Micheleti foi a Brasília.

O prefeito de Londrina, Nedson Micheleti, assinou na quinta-feira um decreto liberando adiantamento salarial para os servidores municipais. Segundo a administração, como o comando de greve impede a entrada no prédio da prefeitura, dificultando o acesso às informações completas da folha de pagamento, a administração utilizou como base os vencimentos líquidos pagos no mês de fevereiro deste ano, para calcular quanto está sendo creditado a cada funcionário. Os servidores que não tiveram falta ao serviço registrada no mês de março recebem adiantamento de 80% do salário. Para os demais, o valor liberado é de 50% do salário.

Cada secretaria repassou os dados sobre a freqüência ao trabalho dos servidores. Caso o adiantamento resulte em pagamento de valor maior a que o funcionário tem direito, a compensação financeira no salário do servidor será feita na folha de abril de 2005.

O valor total dos depósitos aos 7.126 servidores é de R$ 6,1 milhões. A prefeitura já fez a remessa dos valores ao Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Com isso, o crédito na conta bancária dos servidores foi liberado ainda ontem. O adiantamento foi feito em substituição à folha de pagamentos de março, de R$ 14,5 milhões. Mesmo sendo um adiantamento, os servidores que aderiram à paralisação já terão descontados os dias parados. Os 1,3 mil aposentados e pensionistas da Caixa de Assistência de Aposentadoria e Pensão dos Servidores Municipais de Londrina (Caapsml), receberão os pagamentos integralmente. O Sindicato dos Servidores Municipais (Sindserv) informou que irá recorrer à Justiça para garantir o pagamento integral dos salários.

Acordo

O Sindserv e o vereador Luiz Tamarozzi (PTB), presidente da Comissão de Trabalho formada na Câmara de Vereadores para intermediar as negociações, encaminharam na quinta-feira uma nova proposta de acordo ao prefeito. O documento contém os mesmos itens da proposta assinada por Micheleti e o presidente do sindicato, Marcelo Urbaneja no dia 24, prevendo o acompanhamento da receita e a negociação dos dias parados, adicionando a concessão de um abono de R$ 140 aos trabalhadores. A prefeitura anunciou que só negocia quando os servidores voltarem ao trabalho.

Portas abertas

Na última quarta-feira, usuários da Unidade de Saúde Cabo Frio/Imagawa, na região norte de Londrina, fizeram valer o seu direito ao atendimento à saúde. O posto, que estava fechado por determinação do comando de greve do Sindserv, teve suas portas abertas pelas mãos dos próprios moradores que aguardavam atendimento no local.

Viagem

Ainda ontem, o prefeito de Londrina foi a Brasília, para participar de uma reunião com o ministro das Cidades, Olívio Dutra, que vai debater a elaboração de um programa nacional de obras de infra-estrutura destinado aos municípios brasileiros, especificamente, na área de asfalto.