O prefeito de Londrina Barbosa Neto anunciou na tarde desta quarta-feira (20) que a cidade irá declarar estado de emergência em consequência das fortes chuvas que castigam principalmente a região norte do Paraná. A zona rural da cidade é a que mais sofre com as tempestades.

De acordo com a secretária municipal de Agricultura e Abastecimento de Londrina, Marisol Chiesa, 175 quilômetros de estradas na região rural estão intransitáveis, 10 pontes estão comprometidas e 10 bueiros foram rompidos. Os principais pontos danificados estão em estradas que ligam ao Patrimônio Guairacá, Distrito de Lerroville e de Guaravera.

As chuvas causaram transtornos também para 27 escolas municipais. Ainda que as atividades escolares estejam normais, foram registrados entupimentos de calhas, alagamentos e destelhamentos.

A última vez que ocorreu uma tempestade de grandes proporções em Londrina, em outubro do ano passado, foram gastos R$ 23 milhões para reconstruir os estragos causados pela chuva. A média história de precipitação para o mês de junho na cidade é de 87 milímetros. Este ano, já choveu mais de 340 milímetros.

Outras cidades

Algumas cidades já estão em estado de emergência e pessoas estão desalojadas, como aconteceu com 70 famílias de União da Vitória, no sul do estado. Porém, a Defesa Civil conseguiu remanejar 42 destas famílias, levando-as para um abrigo na cidade.

Em Paranavaí, no noroeste, as chuvas abriram crateras e colocaram a cidade em alerta, deixando os moradores assustados.  Os moradores de Maringá, no centro-norte, também estão sofrendo com as chuvas torrenciais. Em uma estrada que atravessa a região, houve deslizamento de terra. No centro da cidade, calçadas se abriram, tubulações de esgoto se romperam e a população enfrenta o caos do clima chuvoso.

Represas e rios transbordam

Na cidade de Porecatu, no extremo norte do estado, uma represa se rompeu, alagando casas e comércios da região. Apesar de o acidente ter acontecido durante a madrugada, a vazão de água ainda é muito forte e assusta os moradores da região.

Em Jataizinho, no norte, o rio que corta o município transbordou e cortou a cidade em duas, impedindo a movimentação dos moradores.

Várias rodovias estaduais na região norte Paraná têm pontos de alagamento ou de rompimento de asfalto. O tráfego é complicado nas PRs 431 (quilômetro 49), 439 (quilômetro 55), 151 (quilômetros 11 e 20), 450 (quilômetro 10), 650 (quilômetro 18), 092 (quilômetro 84), 090 (quilômetro 396), 542 e 458 (quilômetro 17).