Completa 30 dias, hoje, a greve dos servidores municipais de Londrina. Os servidores pedem 27% de reajuste salarial, mas o prefeito Nedson Micheleti se recusa a negociar. Segundo ele, a lei de Responsabilidade Fiscal impede qualquer aumento aos servidores. Os sindicalistas afirmam que 90% do atendimento da saúde está parado, e 85% dos serviços administrativos e operacionais. A Prefeitura contesta os números.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Londrina (Sindserv), Marcelo Urbaneja, diz que desde que começou a greve, a Prefeitura não fez nenhuma proposta de negociação. Eles alegam que a paralisação deste ano é o desdobramento da realizada em março e abril do ano passado, quando os servidores cruzaram os braços durante 32 dias. O movimento foi encerrado depois que o prefeito concordou em criar uma comissão para analisar as finanças da Prefeitura. ?Mas nada do que foi acordado foi cumprido?, reclama Urbaneja.

Segundo ele, boa parte dos serviços da Prefeitura estão paralisados e a greve deve durar enquanto não houver negociação. Já a Prefeitura alega que apenas 50% dos postos de saúde estão parados e parte do setor administrativo.