Trinta e dois novos aterros sanitários serão implantados no interior do Paraná nos próximos meses. A decisão foi confirmada ontem, logo após a assinatura de um convênio para liberação de R$ 2,2 milhões entre o governador Roberto Requião, o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida, e os prefeitos dos 32 municípios que receberão as obras.

A iniciativa do governo faz parte das ações previstas na política estadual de resíduos sólidos, desenvolvido através do programa Desperdício Zero. Esse programa prevê a eliminação de todos os lixões a céu aberto do Paraná e a redução em pelo menos 30% do volume de lixo produzido. Atualmente, todo o Estado produz 20 mil toneladas por dia.

Segundo a Secretaria, as 33 cidades foram escolhidas porque apresentaram às áreas para construção dos aterros em dezembro do ano passado, prazo fixado pela Lei Estadual 12.493. Para o governador, essa meta será alcançada. “O problema é sério. Não é uma obra para véspera de eleição, e sim para o bem-estar dos paranaenses. Quem entende um pouco sobre questões urbanas, entende dessa necessidade”, relata Requião.

A importância da implantação dos aterros vêm sendo discutida pela Secretaria há muito tempo. Existem hoje 181 lixões Paraná e a meta é que sejam construídos 142 aterros sanitários até o fim deste ano. Está programada a construção de 74 aterros sanitários para atender 77 municípios com recursos da Caixa Econômica Federal e, outros 68 aterros, que deverão atender 71 municípios com recursos do governo do Estado.

Cidades

Os municípios que receberam recursos para construção de aterros foram: Assai, Cafezal do Sul, Campo do Tenente, Carambeí, Cerro Azul, Céu Azul, Cornélio Procópio, Curiúva, Sapopema, Douradina, Engenheiro Beltrão, Espigão Alto do Iguaçu, Guairacá, Iguatú, Iracema do Oeste, Itambaracá, Laranjal, Marechal Cândido Rondon, Mato Rico, Moreira Salles, Ouro Verde do Oeste, Porto Vitória, Quitandinha, Ramilândia, Renascença, Santa Mônica, Santa Terezinha do Itaipu, Santo Antônio do Paraíso, São Pedro do Iguaçu, Senges, Serranópolis do Iguaçu, Tijucas do Sul e Xambrê. Curiúva e Sapopema construirão um aterro em consórcio.