A limpeza dos três lagos do Passeio Público, parque mais antigo de Curitiba e minizoológico, já começou a ser feita pela prefeitura. Os lagos estão sendo esvaziados e os peixes, cágados e tartarugas, capturados e transferidos para outros lagos da cidade até que o trabalho termine. A captura dos animais é coordenada por biólogos e funcionários do Zoológico Municipal de Curitiba.

Para melhorar a água dos lagos, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente instalou um sistema de filtragem, que será acionado assim que a limpeza for concluída. Com a filtragem será possível eliminar grande parte dos detritos orgânicos, como folhas e galhos que se acumulam no fundo do lago e provocam a cor esverdeada da água.

“A expectativa é que o novo sistema ajude a manter a água mais limpa e que a população desfrute os passeios e as visitas com mais conforto”, diz o secretário municipal do Meio Ambiente, José Antonio Andreguetto. Além dos filtros, serão colocados também aeradores para movimentar e oxigenar a água.

Os técnicos estão aproveitando a captura dos animais para fazer um trabalho de monitoramento e pesquisa com os cágados e tartarugas. Todos serão marcados com microchip ou miniplacas metálicas e as espécies exóticas (que não são brasileiras) serão separadas das nativas. Também será feita a contagem dos bichos e anotados peso e medidas para que os técnicos acompanhem seu desenvolvimento.

A expectativa dos biólogos é encontrar nos lagos uma espécie de cágado ameaçada de extinção, a Phrynops williamsi, natural da bacia do Iguaçu. Outras espécies de cágados habitam os lagos do Passeio, como os exóticos tigres d’água e cágado de pescoço torto.