Desde que recebeu autorização do Ministério da Saúde para realização de exames, o Laboratório Central do Estado (Lacen) do Paraná já processou mais de 7 mil amostras. A agilidade nos resultados possibilitou que o Paraná traçasse um quadro real da doença.

Entretanto, é importante lembrar que para que um paciente suspeito da nova gripe dê início ao tratamento adequado, não é preciso realizar o teste, já que o exame em nada interfere no tratamento.

De acordo com o protocolo do Ministério da Saúde, a realização de exames deve ser priorizada em casos graves internados em UTI, gestantes, municípios onde não há caso confirmado e comunidades fechadas.

O objetivo é traçar um perfil epidemiológico e manter atualizado este quadro. Os dados são utilizados para análise e conhecimento da equipe técnica a fim de observar o comportamento do vírus.

Nos casos em que o médico ou a vigilância julgue necessário o exame, o paciente deve seguir as orientações do profissional de saúde que indicará o local onde deverá ser feia a coleta do material. Após a coleta, a amostra é enviada imediatamente ao Laboratório Central do Estado (Lacen), onde será processada em até 48 horas.

No Laboratório, o exame percorre 17 etapas, que vão desde o preparo inicial da amostra, passando pela extração e amplificação do material genético até a liberação final do laudo.

Após a emissão dos laudos, o resultado fica disponível on-line para as 22 Regionais de Saúde, que por sua vez repassam para as Secretarias Municipais de Saúde, responsáveis por informar os pacientes do resultado. Desde o dia 27 de julho, o Lacen/PR já processou mais de 7 mil exames, uma média de 200 exames por dia.