A 2.ª Vara Federal Criminal de Curitiba será, a partir de hoje, a segunda vara especializada em crimes contra o Sistema Financeiro Nacional (SFN) e de “lavagem” de dinheiro. As três capitais do Sul são as primeiras do Brasil a contar com estruturas desse tipo. A cerimônia ocorrerá às 18h no Auditório do Foro da Justiça Federal no Paraná, na Avenida Anita Garibaldi, 888, bairro do Cabral, em Curitiba, com a presença dos presidentes do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Nilson Naves, e do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4.ª Região, desembargador federal Nylson Paim de Abreu; do ministro do STJ Gilson Dipp; e dos juízes Sérgio Fernando Moro e Bianca Cruz Arenhart.

O Conselho da Justiça Federal (CJF) aprovou, em 12 de maio, uma resolução determinando que os cinco TRFs do País implantassem varas desse tipo em 60 dias. Naves explica que a Região Sul é a primeira porque o tribunal da 4.ª Região foi o que tomou a iniciativa em primeiro lugar. Conforme dados de 1999 da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, estimava-se que empresas de fachada no Brasil “lavavam” cerca de US$ 10 bilhões por ano mediante contrabando, tráfico de entorpecentes e subfaturamento em operações de exportação.

Conforme a Corregedoria-Geral da Justiça Federal na 4.ª Região, tramitam no Sul 1.502 processos envolvendo “lavagem” de dinheiro e crimes contra o SFN. De acordo com o ministro Dipp, o volume de casos é maior no Paraná (803) devido à Tríplice Fronteira e ao intenso uso de contas CC5 para remessa de dinheiro ao exterior.