O Tribunal Regional do Trabalho da 9.ª Região (TRT) determinou ontem que a administração do Hospital Evangélico e da Faculdade Evangélica seja assumida por um interventor. O despacho, assinado pelo juiz Eduardo Milléo Baracat, nomeia como diretor, a princípio por 12 meses, o médico Fabrício Cascardo Hito.

O pedido de intervenção no hospital foi feito pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). No despacho o juiz cita que fica claro que a Sociedade Beneficente Evangélica (SEB) descumpriu com prazos de ações trabalhistas, que envolviam, entre outras coisas pagamento e recolhimento de FGTS. O MPT argumenta que há mais de 1.300 ações trabalhistas em andamento contra o hospital.

Hito terá muito trabalho pela frente, já que a decisão do TRT aponta para vários relatórios a serem feitos sobre a situação do hospital. O levantamento completo deve indicar todas as receitas e despesas do hospital com detalhes. Isso inclui todos os cargos, dos auxiliares de limpeza aos diretores médicos, e também as empresas e cargos terceirizados da entidade. Esse dossiê deve ser feito nos próximos 30 dias, com possibilidade de prorrogação do prazo.

O interventor poderá tomar as decisões que forem necessárias para restabelecer a administração eficiente no hospital. O despacho permite inclusive que, se for preciso, sejam arrombadas gavetas e portas para que o trabalho de Hito possa ser cumprido.

Em nota, o Hospital Evangélico informou que está cumprindo a determinação da Justiça e que Fabrício Cascardo Hito já assumiu como interventor. A instituição diz que a mudança não afeta o funcionamento do hospital e nem o atendimento à população.

A nota diz ainda que “Hito já estava contratado anteriormente pela SEB para assumir a vaga de Diretor Geral do Evangélico, no lugar do médico Marcos Seefeld, que deixou o cargo no final de novembro”.