A juíza titular de Prudentópolis, Giovanna de Sá Rechia, determinou a suspensão da cobrança de tarifa por tratamento de esgoto praticada na cidade pela Sanepar. A decisão, de caráter liminar, atende ação civil pública proposta na última semana pela Promotoria de Justiça de Proteção do Meio Ambiente da Comarca, em conjunto com o Instituto os Guardiões da Natureza (ING).

O Ministério Público e ONG requeriam ainda a regulamentação do serviço de tratamento conforme as normas ambientais e sanitárias, o que também foi acatado pela Justiça liminarmente. A juíza deu prazo de 30 dias para que a empresa “cesse o despejo de esgoto nos rios sem qualquer tratamento”.