Radares suspeitos foram lacrados.

Equipes do Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (Ipem) lacraram ontem oito radares controladores de velocidade. O órgão responsável pela verificação e aferição dos equipamentos fez a inspeção baseado na portaria do Inmetro que prevê que os aparelhos têm de obedecer às especificações de instalação, respeitando as medidas de altura, distância da câmera em relação ao sensor do radar, largura, número da portaria e o nome da fábrica responsável pela produção dos equipamentos.

O trabalho foi iniciado ontem e coordenado pelo próprio presidente do instituto, Leonaldo Paranhos, que anunciou a extensão da fiscalização para todo o Estado. Foram lacrados equipamentos colocados nas avenidas Comendador Franco (Avenida das Torres), Senador Salgado Filho, ruas Estados Unidos, Canadá, João Gbur e na Jovino do Rosário. O objetivo do Ipem é completar o serviço até o fim de semana.

Segundo Paranhos, o resultado das inspeções será encaminhado ao Inmetro. ?Nós estamos fazendo o nosso trabalho. Realizamos as primeiras inspeções e ficaram constatadas irregularidades de instalação?, explica. ?A legislação determina que os radares sejam instalados a 4,60 m de altura e chegamos a encontrar unidades a 2,80 m do chão. Do poste onde está instalada a câmera até o coletor de dados exige-se 12 metros e nós estamos encontrando até 9 metros de distância entre os pontos?, disse.

De acordo com o presidente do Ipem, os radares reprovados na vistoria são imediatamente lacrados e a empresa responsável pelos equipamentos terá de corrigir os erros para poder voltar a operá-los novamente.

Denúncias

As inspeções aconteceram quatro dias após denúncias apresentadas pela empresa paulista SPL Construtora e Pavimentadora, que encaminhou há alguns órgãos públicos do Estado, entre eles o Ipem e o Ministério Público, as irregularidades apresentadas pelos equipamentos. A presidenta da Urbs, Yara Eisenbach, contestou as reclamações apresentadas pela SPL, mostrando as decisões judiciais desfavoráveis à empresa e laudos de aferição dos equipamentos pelo Ipem.

Ao comentar a atuação do Ipem, Yara Eisenbach disse que ?é uma brincadeira o que estão fazendo. É totalmente contraditório da parte do Ipem realizar essa manobra, se no mês passado regularizaram os radares irregulares?. A presidenta da Urbs ainda afirmou que notificou o presidente do Conselho Nacional de Trânsito e o presidente do Inmetro sobre o assunto. ?É absurdo, um órgão extrapolar a sua competência. Se houvesse algo de errado com os radares, a Urbs deveria ser a primeira notificada, o que não aconteceu?, completa.

Empresa contesta resultado

Em comunicado enviado à imprensa, a direção da Consilux – empresa responsável pelos radares inspecionados, diz que ?ingressou ontem com representação formal no Inmetro contra a ação do Ipem. Hoje os representantes da Consilux devem ter audiência com o diretor de Metrologia Legal do Inmetro, Roberto Guimarães, no Rio de Janeiro, para comunicar oficialmente o ocorrido, já que o Inmetro – único órgão autorizado a homologar os equipamentos – não havia sido comunicado ou consultado pelo Ipem?. A empresa ainda ressaltou que todos os medidores de velocidade, além de obedecerem às portarias, possuem laudos oficiais de exame metrológico expedidos pelo próprio Ipem, indicando a aprovação e o correto funcionamento de todos os equipamentos aferidos.

A assessoria do Ipem respondeu às acusações afirmando que os laudos diziam respeito à medição de velocidade dos aparelhos. Segundo a assessoria, com relação a esse item, os equipamentos estão regulares e os laudos continuam valendo. A ação realizada ontem diz respeito à instalação dos radares.

Velocidade está correta

A Prefeitura forneceu à reportagem da Tribuna cópias dos laudos de sete radares inspecionados ontem pelo Ipem. Os documentos são referentes à medição de velocidade dos aparelhos. Durante os testes, cinco medições foram realizadas, e em todas, as velocidades estiveram dentro do padrão normal estipulado pelo Inmetro, e aprovadas pelo Ipem.

Os laudos foram fornecidos à Prefeitura no dia 15 do mês passado. A validade vai até o dia 15 de junho. A assessoria de imprensa do Ipem informou que as inspeções realizadas ontem ?dizem respeito à instalação dos equipamentos e não à medição de velocidade?.