Cerca de 50 mil produtos – a maioria lâmpadas, fósforos, preservativos, capacetes de motociclista, mamadeiras, fios elétricos, dispositivos eletrônicos, isqueiros e mangeiras para gás – foram destruídos ontem, em Maringá, pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) do Paraná. A destruição foi feita com um rolo compressor.

Os produtos foram apreendidos em cerca 150 municípios das regiões de Maringá e Londrina nos últimos três anos, por não apresentar certificação obrigatória do Imetro. “Portanto, não asseguravam qualidade satisfatória aos consumidores”, argumentou Michel Ravazi Tavares, gerente regional do Ipem.

Localizada no comércio varejista, a mercadoria ficou durante meses armazenada à espera de recursos impetrados pelas empresas proprietárias. Como não conseguiram comprovar certificação, as empresas perderam os produtos. O material inutilizado foi doado a uma cooperativa de reciclagem de Maringá.

De acordo o diretor técnico do Ipem, Roberto André Oresten, muitas mercadorias eram de lojas de R$ 1,99 e de atacadões que comercializam em grande parte, produtos de baixa qualidade comprados no Paraguai. Os infratores também estão sujeitos a multas.