Promover um intercâmbio de informações entre as diversas cidades, com o objetivo de melhorar a qualidade do transporte coletivo urbano dos países que compõem a América Latina.

Este é o objetivo da Associação Latino-Americana de Bus Rapis Transit (ALABRT) e dos Sistemas Integrados de Transporte (SIT). As entidades foram lançadas ontem, em evento realizado na prefeitura de Curitiba, com a participação de presidentes de dezessete agências gestoras de transporte urbano da América Latina.

“Através da associação, queremos sistematizar a aprendizagem, os acertos e erros relativos aos sistemas de transporte coletivo existentes na América Latina. Vamos promover intercâmbios de experiências e de processos de sistematização de indicadores, em diferentes âmbitos. A intenção é proporcionar um transporte público de qualidade e também encontrar alternativas ao transporte motorizado, contribuindo com a melhoria da qualidade de vida nos países latino-americanos”, disse o presidente da ALABRT, Fernando Paez, responsável pela TransMilenio, agência de transporte de Bogotá, na Colômbia.

Segundo o secretário técnico da ALABRT, o mexicano Luis Gutierrez, a associação deve contribuir para minimizar os problemas gerados pelo transporte motorizado, como congestionamentos, poluição, perda do espaço público, lesões corporais e mortes causadas por acidentes de trânsito.

“A associação é um instrumento de resposta às adversidades causadas pelo transporte motorizado. Para diminuí-las, temos que encontrar formas de transporte coletivo urbano mais eficientes, competitivas e de alto rendimento”.

A associação terá quatro vice-presidências, na capital paranaense, representada pela Urbanização de Curitiba S.A (Urbs); em Santiago, no Chile; em Guadalajara, no México; e em Guayaquil, no Equador.

“Foi em Curitiba que se iniciou o conceito de BRT (Bus Rapid Transit), através do expresso e dos corredores exclusivos. O sistema de transporte coletivo da cidade é copiado em todos os lugares do mundo e cada vez mais adotado como sistema de transporte de massa. Acredito que a troca de informações entre as diversas cidades da América Latina, feita através da ALABRT, é de grande importância para que todos possam evoluir”, comentou o presidente da Urbs, Marcos Isfer.

O apoio técnico e gerencial específico à ALABRT e ao SIT virá de três centros da Rede EMBARQ (grupo internacional de organizações colaborativas e comprometidas em tornar as cidades locais melhores para se viver) na América Latina.