Os funcionários do Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) resolveram manter o indicativo de greve e eles podem cruzar os braços a partir de quarta-feira da semana que vem. A paralisação começou a ser cogitada na quinta-feira porque a categoria não concordou com o reajuste salarial proposto pela direção do hospital. A negociação realizada ontem não obteve avanços, mas a instituição prometeu apresentar uma contra-proposta até a próxima terça-feira.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do 3.º Grau Público de Curitiba e Região Metropolitana (Sinditest-PR), Antonio Néris, a categoria não vai aceitar um reajuste menor que a inflação do último ano. ?Por vários anos consecutivos a reposição ficou abaixo da inflação, não podemos deixar o salário achatar ainda mais. Já acumulamos 26% de defasagem?, diz.

De acordo com o Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC), a inflação ficou em 6,61%. Mas a proposta do sindicato patronal ficou bem abaixo disso: 4,5% em duas vezes. A primeira parcela seria paga em junho (2,5%) e a outra em outubro (1,8%). ?Mas devido a esse parcelamento o reajuste real ficaria em 3,32%?, comenta Néris.