Um grupo de guardas municipais saiu às ruas nesta terça-feira (19) para dar início ao conserto e manutenção das câmeras de videomonitoramento da cidade. São 31 guardas que estão participando do curso de Segurança Eletrônica, ministrado por oficiais do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo Cindacta. O curso teve início no dia 11 deste mês.

“Nossa expectativa é que, até o fim de novembro, as 175 câmeras de segurança existentes em Curitiba estejam em operação”, afirmou o inspetor Cláudio Frederico de Carvalho, diretor da Guarda Municipal de Curitiba. Dessa forma, durante as aulas práticas, os alunos devem restabelecer o funcionamento das 56 que hoje estão fora de operação.

A capacitação do grupo representará uma economia imediata de R$ 1,6 milhão ao Município, valor que seria gasto para restabelecer o sistema. Haverá ainda a economia mensal de aproximadamente R$ 30 mil, valor empregado na manutenção das câmeras de videomonitoramento.

Os supervisores que participam do curso ficarão responsáveis por multiplicar o conhecimento adquirido a outros guardas municipais. Eles também irão elaborar uma cartilha com o conteúdo das aulas.

“Além das câmeras de segurança, o nosso pessoal estará habilitado a fazer a manutenção mensal das 711 câmeras da URBS, que monitoram o trânsito de Curitiba”, informou o diretor. Ele lembrou que a Força Aérea é referência nacional do setor de segurança eletrônica.

“Para nós, é uma grande oportunidade de aprendizado”, disse o supervisor Ermínio Zawadski, que há 22 anos está na Guarda Municipal de Curitiba e participa do curso. “Nossa expectativa é grande para colocar em prática o que aprendemos durante as aulas teóricas”.

Seu colega, o guarda municipal André Bresan Neto, há 21 anos da corporação, também colocou em prático o que aprendeu em sala de aula. “As novas tecnologias disponíveis simplificam muito a segurança eletrônica”, comentou.

Segurança Eletrônica

Em 108 horas aula, das quais 80 são práticas, a grade do curso inclui assuntos como eletricidade e eletrônica, aterramento, circuito fechado de TV, câmeras e lentes, redes, direito de imagens, instalação e manutenção.

 “Temos o objetivo comum de melhorar a qualidade de vida e bem estar da sociedade e o caminho único para isso é o estreitamento de relações entre as corporações, para compartilhar conhecimentos”, afirmou o coronel aviador Luiz Ricardo de Souza Nascimento, comandante do Cindacta.

A importância da integração entre os órgãos de segurança pública também foi destacada pelo brigadeiro Amilcar Andrade Bastos, coordenador adjunto de Defesa de Área para Assuntos da Copa 2014. “Muito mais do que um legado para a Copa do Mundo, o compartilhamento deste conhecimento é algo que ficará para a cidade”, comentou.

 O curso de Segurança Eletrônica é ministrado pelo Cindacta para as suas equipes internas há seis anos e, pela primeira vez, foi estendido a uma turma completa da Guarda Municipal de Curitiba.