Um grupo de guardas municipais realizou na manhã desta segunda-feira (8), no Parque Passaúna, o curso de prática de salvamento aquático, que é parte do treinamento para atuar em situações de calamidade pública. Depois de cinco dias de aulas teóricas, na semana passada, os guardas praticaram rapel no Parque Tanguá e salvamento aquático no Parque Passaúna. Na próxima semana, o grupo concluirá o curso de pilotagem de barco a motor no Parque Náutico.

Promovido pela Coordenadoria Municipal da Defesa Civil (Comdec), o curso é voltado principalmente para o salvamento de vítimas de enchentes. Até o final do ano, 400 guardas municipais concluirão o treinamento.

O instrutor do treinamento, sargento Neidimar, explica que as técnicas aprendidas poderão ser usadas inclusive em situações de afogamentos – muito comuns nos parques. “As técnicas permitem que os guardas façam salvamentos em áreas alagadas, onde haja muito entulho, galhos e até casas submersas”, afirma.

O curso é realizado com recursos do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), do Ministério da Justiça. A Secretaria Municipal da Defesa Social apresentou o projeto de capacitação e as verbas para o curso foram liberadas. Uma empresa especializada em rapel e salvamento em incidentes foi contratada para dar o treinamento aos guardas municipais.

O supervisor Freirs, um dos guardas que está concluindo o curso, comenta a importância de ter aulas práticas para lidar com situações emergenciais. “Uma coisa é a teoria. Um treino como este nos aproxima mais das situações reais”, diz. Além de atuar em áreas alagadas, os guardas que passam pelo treinamento recebem noções sobre incêndios florestais e como identificar artefatos explosivos.