De 1999 até 2001, nove municípios paranaenses receberam US$ 707.366,00 do governo japonês para o desenvolvimento de projetos comunitários. O investimento faz parte do programa Assistência a Projetos Comunitários (APC), firmado entre Japão e Brasil em abril de 1999. Os números do projeto foram divulgados na terça-feira pelo consulado japonês que também promoveu uma visita a duas das principais iniciativas desenvolvidas com o apoio do APC. “O objetivo do governo japonês é buscar a paz mundial, Sabemos que para alcançar esse objetivo precisamos lutar contra a pobreza e garantir oportunidades para as camadas desfavorecidas da sociedade”, explicou o cônsul-geral do Japão no Paraná, Koichi Aoyama.

Os recursos da APC podem ser obtidos tanto por entidades governamentais como não-governamentais. Somando-se ao investimento feito nesse ano, a ACP já doou US$ 945.200 para 22 trabalhos de desenvolvimento comunitário no estado.

As cidades de Guaratuba, Antonina, Morretes e Guaraqueçaba receberam US$ 25237,00 que auxiliaram no desenvolvimento do projeto Plantando Palmito. O programa fornece sementes e mudas de palmito e palmeira real para agricultores locais. O objetivo é garantir uma fonte de renda para as famílias do litoral do estado e evitar que elas façam a coleta do palmito de maneira predatória. Desde o início do programa, mais de cinco milhões de mudas foram distribuídas. Atualmente, em Guaratuba, cerca de cinqüenta famílias estão desenvolvendo o Plantando Palmito. Um dos produtores que aderiu ao projeto foi Joaquim Jardel Sales. Ele já trabalhava com palmito antes do início do programa, mas diz que a parceria entre Prefeitura, governo do Estado e Japão facilitou as coisas. “A visita dos técnicos nos garantiu uma visão mais profissional”, explica.

Ofício

Em Curitiba, a verba do governo japonês equipou quatro Liceus do Ofício (Boqueirão, Uberaba, Xapinhal e Cajuru). Foram cerca de US$ 200 mil que garantiram a compra de microcomputadores, equipamentos de panificação e máquinas de costura. Pelos cálculos da Prefeitura, desde 99 mais de 5 mil pessoas já passaram pelos cursos. “É uma forma de cooperação muito importante porque demos a milhares de pessoas a possibilidade de aprender uma profissão e desenvolver um negócio próprio”, explica Marina Taniguchi, presidente da Fundação de Ação Social (FAS).

Serviço:

Entidades interessadas em receber financiamento do governo japonês podem conseguir mais informações no telefone (41) 322-4941.