Foto: Lucimar do Carmo
Bom tempo em Curitiba contribuiu para a vacinação em 348 postos.

Ontem foi dia de vacinação para crianças menores de cinco anos em todo o País. A gotinha fez parte da primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, que tem o objetivo de garantir a erradicação da doença no Brasil.

O Ministério da Saúde pretendia vacinar cerca de 15 milhões de crianças menores de cinco anos, número que corresponde a 95% do total de crianças nessa faixa etária, e número recomendado para o não aparecimento de novos casos. A segunda etapa da campanha acontece em 9 de agosto.

O Paraná recebeu 1,6 milhão de doses da vacina Sabin, que foram distribuídas em 2 mil salas de vacinação dos postos de saúde do Estado e em pontos itinerantes. Segundo o Ministério da Saúde, no Paraná há 818,4 mil crianças menores de cinco anos. Na última campanha, os municípios paranaenses conseguiram vacinar 91,8% de todas as crianças.

A meta da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba era de vacinar ontem 122 mil crianças, em 348 postos de vacinação. Pela manhã, o sol contribuiu para que muitos pais levassem seus filhos para tomar a vacina. Em Londrina, a campanha começou já na última sexta-feira para conseguir uma adesão ainda maior para a campanha. Para intensificar a vacinação, durante a semana equipes da secretaria visitaram centros de educação infantil.

A secretária municipal de Saúde de Londrina, Marlene Zucoli, informou que a intenção era vacinar 35,5 mil crianças no município. Os pais que aproveitaram o fim de semana para viajar com os filhos também puderam fazer a vacinação em praças de pedágio do Estado, como a praça de Carambeí, na PR-151.

Casos

Ainda presente em países da África e da Ásia, a poliomielite foi erradicada no Brasil em 1994. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que, em 2007, houve 1.313 casos em 13 países. Afeganistão, Índia, Nigéria e Paquistão são os quatro países considerados pólio-endêmicos hoje.

Até 3 de junho deste ano, foram confirmados 522 casos de poliomielite no mundo, o que representa um aumento significativo quando comparado ao mesmo período do ano passado, quando houve registro de 190 casos. Por aqui, Curitiba não registra novos casos de poliomielite há 23 anos e, no Paraná, não há detecção da doença desde 1986. Mas a campanha é constante justamente para a continuidade desse quadro, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde.