Foto: Playboy
Franciely Freduzeski, de
Laranjeiras do Sul, causa
alvoroço na capital.

Há cerca de cinco anos, Franciely Freduzeski era apenas mais uma bela menina do interior do Estado estudando e tentando arrumar um emprego em Curitiba. A realidade que se viu ontem, também na capital paranaense, é bem diferente. A moça de Laranjeiras do Sul, capa da revista Playboy deste mês, causou o maior alvoroço em um grande shopping da cidade. Centenas de rapazes ansiosos passaram a tarde à espera de um autógrafo da musa.

Motivos para tanta disputa não faltam: Franciely é uma das mais promissoras atrizes globais, depois de ter ganho notoriedade ao interpretar a Beta na novela O Clone e a dona Gegê do programa Zorra Total. Em agosto ela reestréia, em São Paulo, a peça Boeing-Boeing.

Apesar do sucesso e do novo cotidiano repleto de glamour, Franciely não esquece de seu passado curitibano. Ontem ela encontrou duas grandes amigas da época em que morava na cidade. Luciana Heinzell e Caroline Facchini lembram que ?Fran? não acreditava que pudesse se tornar uma celebridade nacional. ?Ela sempre achou isso meio distante?, diz Luciana, que na época morava em Joinville. ?Só que a Franciely sempre teve muito talento e força de vontade. O resultado tá aí agora.? Ela lembra que, quando vinha de Santa Catarina, ficava na casa de Franciely, em Curitiba. ?E quando ela ia para lá ficava na minha casa?, completou. A amizade das duas resultou até em um namoro da capa da Playboy com o primo de Luciana. O relacionamento acabou e a menina de Laranjeiras agora mora no Rio, onde as cantadas são mais atrevidas. ?Os cariocas são mesmo mais extrovertidos?, afirma. Mesmo assim, os curitibanos permanecem bem vistos pela musa, com direito até a receber um elogio mais ousado. ?Curitibano é ?come-quieto?. Eu definiria assim.?