Foto: Ciciro Back/O Estado

A principal reivindicação dos grevistas é o fortalecimento da categoria.

Em greve desde quinta-feira, funcionários do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária do Paraná (Incra) convocam para a próxima segunda-feira os aposentados vinculados ao órgão para uma assembléia geral, pois uma das reivindicações é garantir a gratificação integral aos funcionários ao final da carreira. Ao todo, são 214 aposentados em todo o Paraná.

Segundo a presidente da Associação dos Funcionários do Incra, Irene Neves, o reforço dos aposentados vai tornar o movimento ainda mais forte. ?Nossa meta é atingir na segunda-feira a adesão de 100% do quadro, ou seja, dos 140 funcionários da ativa. Com o reforço dos aposentados, nossa voz ficará mais alta?, diz.

O movimento grevista já dura mais de trinta dias em outros estados – 20 superintendências aderiram à greve, porém só esta semana o Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se juntaram na luta. ?Houve algumas resistências, mas com o trabalho de conscientização, a grande maioria decidiu lutar pelos próprios direitos?, diz Irene.

A principal reivindicação dos grevistas é o fortalecimento da categoria, com reestruturação do órgão, contratação de um número maior de funcionários para atender à demanda cada vez mais expressiva de trabalhadores rurais, e melhorias no sistema logístico. ?Temos hoje uma demanda de 9 mil pessoas acampadas na beira de rodovias e 18 mil assentados. Não temos como atender a todos.?

Os grevistas pedem também a incorporação das gratificações no salário base e a equiparação da categoria com funcionários do Ibama.

Segundo Irene, servidores do Ibama ganham R$ 2,3 mil mensais para exercer a mesma função. ?O salário base para funcionários com ensino médio é de R$ 380 e os de ensino superior R$ 500. Há as gratificações, mas elas não dão segurança alguma?, assegura.

Conseqüências

Segundo Irene, o protocolo e a sala do cidadão, que funcionam com funcionários terceirizados, continuam em atividade. Já o atendimento aos assentados, com entrega de cestas básicas e a efetivação de 110 convênios com prefeituras no interior do Estado, está paralisado por tempo indeterminado.