Fórum realizado na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) discutiu a inclusão digital, mais especificamente as cidades digitais. No Estado, segundo levantamento realizado pela Fiep, apenas 20 cidades oferecem internet gratuita aos cidadãos.

No entanto, segundo Denis Alcides Rezende, doutor em Gestão Pública, essas inclusões digitais não levam em conta os serviços oferecidos pelas prefeituras. “É muito fácil colocar duas antenas e disponibilizar o sinal de internet. Agora o problema é tornar os serviços públicos acessíveis à população”, afirma Rezende.

Algumas cidades digitais, como Tibagi, nos Campos Gerais, que implantou o sistema em 2010, tiveram seu método de ensino revolucionado, inclusive com o abandono do ultrapassado quadro negro. A gestão municipal de Toledo investiu no programa cerca de R$ 100 mil, um custo relativamente baixo, que além de trazer benefícios para a rede de ensino, quase zerou a inadimplência dos contribuintes com o pagamento do IPTU.

A primeira cidade do Estado a receber o título de cidade digital foi Santa Cecília do Pavão, na região Norte, que implantou o projeto em 2005. Lá, 1,1 mil pessoas estão cadastradas e usufruem do serviço.

Em Curitiba, algumas localidades contam com sinais de internet gratuita para a população, entre elas o Parque Barigui, que reúne milhares de pessoas nos finais de semana. Além do parque, na Praça Rui Barbosa e no Mercado Municipal também é possível obter sinal gratuito.