O movimento de retorno do final do feriado de Tiradentes, ontem, foi considerado tranquilo nas rodovias que cruzam o Paraná. As BRs 376 e 277, que ligam para o litoral de Santa Catarina e do Paraná, respectivamente, apresentaram uma média de veículos abaixo do esperado, se comparado com outros feriados.

A concessionária Autopista Litoral Sul, que administra a BR-376, informou que o fator que atrapalhou quem voltava para a capital paranaense foi o tempo ruim, que exigiu mais cuidado do motorista.

Contribuiu também para atrasar o retorno do feriado prolongado três acidentes no quilômetro 658, a 20 quilômetros da divisa entre Paraná e Santa Catarina. Três caminhões e quatro carros se envolveram em um engavetamento e uma pessoa ficou seriamente ferida, sendo levada para um hospital em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

O movimento de veículos teve um pico de 1,8 mil veículos, considerado baixo em um período de feriado, que normalmente atinge a marca de 2,5 mil automóveis por hora.

Na BR-277, cuja responsável é a concessionária Ecovia, o pico de movimento foi de 1.143 automóveis por hora. De sexta-feira até a tarde de ontem, foram registrados 12 acidentes, com nove feridos e nenhuma vítima fatal. O tráfego mais intenso foi registrado no final da tarde.

Até a tarde de ontem, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou a ocorrência de 105 acidentes, com 34 feridos e dois óbitos nas rodovias federais que cortam o Paraná. Apesar de não ter ocorrido uma operação especial, a assessoria de comunicação da PRF informou que o efetivo foi aumentado para atender a demanda.

Em todo Estado, a Polícia Rodoviária Estadual informou que houve 179 acidentes, com 159 feridos e 16 óbitos, números menores do que os registrados no ano anterior, quando aconteceram 327 acidentes, com 285 pessoas feriadas e 18 mortes. O balanço final do feriado de Tiradentes, porém, sai hoje.