Foto: Lucimar do Carmo/O Estado

Luiz Alberto: ?Saída às 12h?.

Os usuários da unidade de pronto-atendimento e do posto de saúde especializado em ginecologia e pediatria, localizados no bairro Alto Maracanã, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), reclamam do atendimento oferecido nos dois locais. Quem precisa do serviço tem que enfrentar filas.  

No pronto-socorro, a demora no atendimento acontece durante todo o dia, de acordo com relatos de usuários. O retificador de motor Luiz Alberto de Melo aguardava ontem pela manhã por atendimento. Era a segunda vez que ele utilizava o pronto-atendimento. ?Na primeira vez que vim aqui, cheguei às 7h e saí às 12h?, conta.

A dona-de-casa Fernanda Honório estava acompanhando o marido. Ela conta que só vai até o pronto-atendimento do Alto Maracanã em última necessidade. ?O atendimento aqui não é bom. Quando venho é porque não tenho como ir em outro lugar. Eu prefiro ir no posto do Boa Vista, em Curitiba. É demorado, mas o atendimento é melhor?, explica.

Fernanda: ?Ida a outro posto?.

Creoni Duarte: ?Muita espera?.

A segurança de loja Creoni Duarte esperava para ser atendida no lado de fora do pronto-socorro, mesmo sentindo dor nas costas, ocasionada por quatro intervenções cirúrgicas na coluna. ?Cheguei cedo e tenho que esperar na fila. Faz pouco tempo que eu moro em Colombo e estou apavorada?, comenta. O técnico em refrigeração Jeovaldo Alves da Costa estava aguardando por atendimento no local pela primeira vez. ?Cheguei aqui às 9h. Me falaram que a previsão era de duas horas de espera. Vamos ver se vai ser isso mesmo?, dizia.

Zarqueu aguardou o serviço.

O mestre-de-obras Reinaldo de Melo foi ao pronto-atendimento no último domingo. Demorou três horas e quarenta minutos para ser atendido. Ontem, voltou ao local porque tinha consulta com o ortopedista, devido a problemas na coluna. ?Mesmo com consulta e com hora marcada, tem que chegar bem cedo, porque chamam por ordem de chegada?, declara. O servente Zarqueu Alves Feitosa foi até o pronto-socorro para acompanhar a esposa. Quando ele precisou do serviço, foi bem atendido, e com rapidez. Ontem, Feitosa e a esposa chegaram às 6h no local e às 9h ainda aguardavam atendimento. O mestre-de-obras Marcelino Marques afirmou que o pronto-atendimento realiza um bom serviço. Para ele, existem filas porque muitas pessoas de outras cidades vêm até Colombo procurar atendimento médico. ?Eles (do posto) fazem o possível. É muita gente?, indica.

Espera

A demora também é comum para quem precisa de atendimento da unidade especializada em ginecologia e pediatria do Alto Maracanã. A dona-de-casa Zelinda Santiago fala que, normalmente, o atendimento é demorado. A aposentada Tereza Maria Barbosa conta que é comum os usuários chegarem de madrugada para conseguir marcar consultas. ?Sempre demora muito. A gente vem aqui várias vezes e não consegue marcar a consulta?, esclarece. A recepcionista Joseane Dias Batista tinha consulta marcada ontem para o seu filho de sete meses. Ela chegou na unidade às 6h30. ?Quando perguntei o horário que seria atendida, falaram para mim que é imprevisível. Não posso sair daqui porque posso perder a consulta. Todas as vezes que vim aqui demorei para ser atendida?, assegura.

Feriado pode ter atrasado os atendimentos

Foto: Lucimar do Carmo/O Estado

Unidade no Alto Maracanã.

O secretário de Saúde de Colombo, Helder Lazarotto, explica que o tempo de espera nas duas unidades de saúde poderia ser maior ontem por causa do feriado de Finados. O último dia de atendimento normal foi quarta-feira da semana passada. Por isso, poderia haver demanda reprimida. Muitos moradores de outras cidades da RMC procuraram o pronto-atendimento pelo mesmo motivo.

Lazarotto admite que a estrutura existente hoje é deficitária para atender a demanda. Além de muitos usuários serem de outros municípios, a região do Alto Maracanã cresceu demasiadamente nos últimos anos. Somente no Jardim Eucalipto, três mil casas foram construídas nos últimos cinco anos. ?A região cresceu rapidamente e os serviços não acompanharam. Por isto estamos construindo um novo pronto-atendimento no Alto Maracanã?, afirma.

A obra vai desafogar tanto a unidade especializada em ginecologia e pediatria quanto o pronto-socorro. No novo local, haverá o atendimento de urgência e emergência para crianças e adultos. Mesmo com a futura inauguração do novo pronto-atendimento, as duas unidades vão continuar operando. O posto especializado irá apenas atender a pediatria básica. O atual pronto-atendimento será transformado em uma unidade de saúde da mulher.

O novo pronto-atendimento está praticamente construído. Faltam apenas detalhes externos na estrutura. Segundo Lazarotto, a Prefeitura de Colombo ainda aguarda o recebimento de R$ 500 mil em equipamentos, que serão instalados mediante convênio com o Sistema Único de Saúde (SUS). A administração também aguarda a resposta do governo estadual para uma solicitação de recursos para a unidade. Espera-se que o novo pronto-atendimento esteja funcionando até metade de 2007.