Foto: Lucimar do Carmo

Este é o 17.º ano do evento.

O Imin Matsuri de Curitiba, festival que homenageia o imigrante japonês, termina hoje com uma série de shows e manifestações folclóricas típicas da cultura nipo-brasileira. Este ano, a festa tem como tema os cem anos da imigração japonesa no Brasil, e comemora também os dez anos da visita do imperador japonês Akihito a Curitiba. Ontem, os participantes prestaram homenagem à memória dos pioneiros, com muitas orações dos monges, em um culto budista celebrado pela igreja Honmon Butsuryu-shu.

Esse é o 17.º ano em que o festival acontece na capital paranaense. Além das apresentações, que contemplam dança, música e poesia, a gastronomia também é ponto forte do festival, com mais de 50 pratos típicos à escolha dos visitantes. O organizador da festa e representante da comunidade japonesa em Curitiba, Cláudio Seto, explica que não apenas nipo-brasileiros participam das comemorações, mas pessoas de todas as culturas e raças. ?Diria, até, que são maioria?, arrisca, falando da miscigenação que conseguiu adaptar, em uma só cidade, descendentes europeus, asiáticos e brasileiros natos, vindos de outras partes do País.

Os japoneses, entretanto, expressam no Imin Matsuri a tradição de nunca esquecer seus antepassados. Por isso, explica Seto, essa edição é especialmente importante, uma vez que dá início às comemorações do centenário da chegada do primeiro navio japonês ao Brasil, que aportou em Santos no dia 28 de junho de 1908. ?A partir de agora começamos uma série de eventos comemorativos até o ano que vem, quando os cem anos se completam.?

Temática

Quem pretende aproveitar o último dia do evento vai notar que a decoração é simbólica e está centrada no tema do festival. Os motivos lembram a partida do navio Kasato Moru, que trouxe os primeiros imigrantes ao Brasil. ?E tem as cores vermelho e branco e verde e amarelo, unindo as duas bandeiras?, complementa Seto. Os dez anos da visita do imperador japonês a Curitiba também são lembrados com uma exposição de fotos e na moeda que circula dentro do evento, que também leva uma imagem de Akihito.

Hoje o festival terá danças folclóricas (Bon Odori), leitura dramática de textos, shows de cantores japoneses, apresentações de artes marciais, karaokê e tambor japonês.