A Biodiversidade é tema de uma feira especial montada pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente para aproximar a população das ações ambientais desenvolvidas pela Prefeitura. A feira é itinerante, e até o fim do ano passará por todas as ruas da Cidadania de Curitiba. A primeira edição foi aberta nesta quarta-feira (14), no Boqueirão, onde prosseguirá até sexta-feira próxima.

“A ideia é aproximar o cidadão dos temas ambientais, e mostrar como cada um pode colaborar de forma prática com meio ambiente”, explica o secretario municipal do Meio Ambiente, José Antonio Andreguetto. A feira também faz parte das comemorações do Ano Internacional da Biodiversidade, lançado em Curitiba em janeiro pela Organização das Nações Unidas (ONU).

A feira reúne equipes dos Museus de História Natural e Botânico, além do núcleo de educação ambiental da secretaria. Munidos de materiais lúdicos e informativos, os técnicos falam sobre fauna, flora, água e outros recursos naturais relacionados ao ambiente urbano.

No meio da Rua da Cidadania, animais taxidermizados (empalhados) do acervo do Museu de História Natural chamam a atenção de quem passa pela Rua da Cidadania. Foram escolhidos espécies da fauna regional, como o o papagaio de peito roxo, o pássaro colhereiro, o guará, a lontra e outros que desempenham papel fundamental na conservação das florestas e dos bosques nativos.

A araucária é usada para as abordagens sobre a vegetação nativa. A partir dessa espécie símbolo do estado e da cidade, biólogos explicam que a araucária está intimamente associada a outras espécies vegetais, como a canela e a imbuia, e também à fauna. Os técnicos mostram que, para as florestas continuarem existindo, mesmo aquelas que estão no meio da cidade, é preciso que os animais também vivam nelas.

“O papagaio de peito roxo, por exemplo, é um importante dispersor de sementes de araucária. Sem ele, a floresta ficaria ainda mais ameaçada”, afirma Leny Toniolo, chefe de Educação Ambiental da Secretaria.

Com um pedaço de araucária de 97 anos, os técnicos mostram como é contada a idade da árvore, técnica que só pode ser feita quando a árvore é cortada ao meio. O pedaço usado é de uma araucária que caiu naturalmente no bosque do Jardim Botânico.

Doraci Pereira, do Boqueirão, ficou surpresa com a feira, principalmente com as explicações sobre a araucária. “Tem tanta coisa que não sabia e agora sei. Nunca tinha visto uma pinha, só os pinhões soltos. Eu adoro plantas, e foi uma aula que tive sobre o assunto”, fala Doraci.

Cada edição da feira será de três dias. Além das barracas, estão programadas palestras e visitas monitoradas de alunos de escolas municipais das regiões. Durante os dias de feira, acontecerão jogos e brincadeiras relacionados ao tema ambiental nas quadras esportivas da Rua da Cidadania. Só na primeira hora após a instalação da feira no Boqueirão, cerca de 80 pessoas visitaram as barracas do Meio Ambiente.

Programação na Rua da Cidadania Boqueirão:

Quinta-feira, 15 de abril
9h às 9h45 – Palestra “Conhecendo nossa flora”
9h às 11h – Jogos da biodiversidade
9h45 às 11h – Teatro da Rede de Defesa e Proteção Animal
13h30 às 14h15 – Teatro da Rede de Defesa e Proteção Animal
14h45 às 15h30 – Palestra “Animais Peçonhentos”
14h às 16h – Jogos de biodiversidade

Sexta-feira, 16 de abril
9h às 9h45 – Palestra “Animais Peçonhentos”
9h às 11h – Jogos de biodiversidade
9h45 às s11h – Teatro da Rede de Defesa e Proteção Animal