A cidade de Faxinal, no Norte do Estado, pode arcar com uma multa de R$ 330 mil se a Prefeitura não tomar providências emergenciais para regularizar o aterro controlado que funciona no município. O alerta é da Promotoria de Justiça da Comarca, que este ano avalia a situação do aterro. No último dia 8, por solicitação do Ministério Público, uma equipe da Polícia Florestal fez uma vistoria no local e encontrou diversas irregularidades. Foram protocolados oito autos de infração, que culminaram na multa.

A promotora de Justiça Fernanda Maria Campanha Motta Ribas conta que até pneus eram queimados no aterro. "Por falta de administração, o lugar virou um lixão a céu aberto", afirma a promotora.

O prefeito, Juarez Barreto de Macedo, não foi reeleito nas últimas eleições, realizadas em outubro. Segundo informações da Polícia Florestal, já no dia 8 a Prefeitura foi notificada, a partir daí são 20 dias para que conteste a multa.

A autuação da Polícia Florestal também revelou outra questão importante. Na segunda-feira, os policiais informaram à promotora que o aterro está com a licença de operação vencida desde 2002.