Os sete leitos interditados na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Bom Jesus em Ponta Grossa continuam fazendo falta. Uma senhora de 62 anos com acidente vascular hemorrágico morreu na noite de terça-feira na região dos Campos Gerais sem atendimento. Ela precisava de um leito em um hospital de alta complexidade, que fizesse exames de tomografia e neurocirurgia, como é o caso do Bom Jesus. Mas a vaga não foi encontrada. Na segunda-feira, às 11h46, a senhora deu entrada no Hospital Ana Fiorino Menarim, em Castro. Após 20 horas à espera de atendimento, acabou morrendo.

O diretor de Alta e Média Complexidade da Secretaria Estadual de Saúde, Irvando Carula, reconhece o problema, mas diz que ?o governo está trabalhando para que todos tenham atendimento. É inadmissível que pacientes morram na fila?, afirma. Segundo ele, nos últimos três anos 30% dos leitos de UTI foram credenciados. Para solucionar a falta de leitos em hospitais de alta complexidade está sendo organizada uma rede estadual em assistência.