Quando o tempo está bom, não abrem as casas por causa do pó. Quando chove, não conseguem sair de casa devido às péssimas condições da estrada. Esse dilema faz parte da rotina de quem mora ou precisa trafegar pela PR-090, conhecida como Estrada do Cerne, que liga Curitiba a Castro.

A estrada tem cerca de 122 quilômetros e perto de 10% da rodovia está coberta com um asfalto precário, cheio de buracos e sem acostamento. O mato cobre as placas de sinalização. O pior trecho da via fica na localidade de Campo Magro, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O motorista de ônibus Ari José Volete conta que precisa passar três vezes por dia no trecho entre Campo Magro e a localidade de Bateias, e diz que sempre encalha o veículo. A situação se repete com o caminhoneiro Almir Lovato. "Quando venho para essa estrada, já tenho consciência que vou precisar pousar na rodovia, porque sei que vou ficar parado", afirma.

Na noite de quarta-feira, o casal Maria Rosa Machado e Elias Ribeiro precisaram levar o filho ao médico. Antes de chegar ao atendimento, perderam o escapamento do carro. "Esse já foi o segundo carro danificado na estrada", fala Maria. Ela comenta ainda que há mais de um ano eles não vão à chácara do casal, que fica a alguns quilômetros da residência. "Está impossível de chegar, e por isso praticamente abandonamos a chácara", relata.

A dona de casa Catarina Santos Godói perdeu a consulta médica da filha porque o ônibus que faz a linha entre Bateias e Curitiba quebrou no caminho. Ela lamenta também que o filho, que é militar, precisa acordar as 5h30 para percorrer 3,5 quilômetros a pé para pegar uma condução. "Todos os dias são de sofrimento por causa dessa estrada", comenta.

DER

Há cerca de cinco meses, os moradores fecharam a estrada durante um protesto, que só foi encerrado com a promessa de obras no local. No entanto, eles continuam aguardando até hoje. Os moradores ameaçam nova mobilização se nada for feito para solucionar o problema.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou, através de sua assessoria de imprensa, que está finalizando um convênio com o Exército para o projeto de engenharia de pavimentação da rodovia. Segundo o órgão, o projeto de execução ficará pronto dentro de três meses, e só depois é que os trabalhos devem ser iniciados. Neste ano devem ser pavimentados apenas 15 quilômetros da via, e o restante ainda não tem prazo para ser iniciado.