O governador Beto Richa e o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Almeida Guimarães, assinaram nesta quinta-feira (08), em Curitiba, um protocolo de intenções que garante o repasse de R$ 97,8 milhões para estimular a pesquisa científica no Paraná.

Os recursos serão gerenciados pela Fundação Araucária – vinculada à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – e possibilitam a concessão de bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado em áreas prioritárias para o Estado, além da aquisição e manutenção de equipamentos e laboratórios de pesquisa.

“Aportar mais recursos é fundamental, mas não o suficiente. Precisamos de mais integração entre agentes públicos e empresas, maior sinergia entre as instâncias de governo e mais investimentos privados”, disse o governador.

Ele ressaltou que o Paraná investe por ano R$ 1,2 bilhão para o financiamento de universidades estaduais “Somos o Estado que mais tem instituições públicas de ensino superior no País”.

Richa destacou que o desafio do governo, e também de instituições ligadas ao desenvolvimento científico, é definir prioridades e dar mais qualidade aos gastos públicos.

“É fundamental para o País assegurar os recursos necessários para a ciência e tecnologia. Investir em pesquisa é estimular o desenvolvimento social e econômico”, disse o governador. “Esta parceria entre a Fundação Araucária e a Capes demonstra a importância da ciência e tecnologia e do trabalho desenvolvido pelos pesquisadores e docentes das universidades no Paraná”, afirmou o presidente da Fundação Araucária, Paulo Roberto Brofman.

O documento também foi assinado pelo secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Alípio Leal, durante a abertura do Fórum do Conselho Nacional dos Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência e Tecnologia, que acontece até esta sexta-feira (09), em Curitiba.

Fórum – O secretário Alípio Leal afirmou que o Fórum é um meio de interlocução direta com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação. “É a oportunidade de traçarmos políticas públicas, metas e prioridades para que haja apoio do governo federal para incentivar pesquisas nos Estados e nos municípios”, disse.

Leal é um dos integrantes do Comitê Executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), grupo que avalia as ações da pasta e contribui para a definição das políticas e metas para a área.

Durante encontro realizado em Curitiba, antes do Fórum Nacional, o secretário paranaense reafirmou a necessidade de aporte de recursos do governo federal nas universidades estaduais do Paraná.

“É preciso fortalecer a academia. Com pesquisa e inovação asseguramos o desenvolvimento econômico e social, é um investimento que traz retorno ao País”, afirmou Leal.

Também participaram da abertura do evento, o secretário executivo do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Antonio Rodrigues Elias; o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Augusto Gadelha; o secretário de Educação Superior do MEC, Luiz Cláudio Costa; os deputados estaduais Alexandre Curi e Teruo Kato; e secretários de todo o País e autoridades da área.