Não é de hoje que o cruzamento entre as ruas Anne Frank e José Hauer, no Boqueirão, é palco de acidentes de trânsito. Há pouco mais de dois meses, a casa do aposentado Vitorio Canarsky Elnisky, 64 anos, foi invadida por um caminhão que, após a colisão com outra carreta, destruiu o muro e parou dentro de um dos cômodos da residência.

Hoje, o cruzamento tem placas de “Pare”, tartarugas de sinalização e pintura na pista alertando a preferencial na José Hauer. De acordo com comerciantes, os alertas funcionam, mas ainda há muitas colisões. “Quando o motorista entra da Marechal Floriano Peixoto para a José Hauer, ele não vê as placas alertando o cruzamento e acaba passando direto ou freando em cima”, conta o vendedor Marcelo Isidoro dos Santos.

Dono de um bar, Wilson da Silva diz que o problema está na Anne Frank. “Antes de cruzar a José Hauer, tem uma subida na Anne Frank e os motoristas aceleram sem saber o que tem pela frente. E muitas vezes tem um carro avançando a preferencial. Semana passada teve duas colisões”, relata. Pra ele, a solução é construir uma travessia elevada na quadra anterior.