Como tentativa de evitar a proliferação do vírus da nova gripe (H1N1), escolas de oito municípios da região metropolitana de Curitiba suspenderam as aulas a partir desta quinta (30) e sexta-feira (31). A suspensão temporária aumenta o contingente de instituições de ensino que terão paralisação das aulas no Paraná.

Os estudantes ficarão sem ir à escola durante pouco mais de uma semana nos municípios de São José dos Pinhais, Araucária, Colombo, Fazenda Rio Grande, Pinhais, Almirante Tamandaré, Campo Largo e Piraquara. Na Lapa, ainda não há posição oficial da prefeitura, mas a expectativa é de que a cidade vá aderir à paralisação.

Em São José dos Pinhais, além das escolas, estão suspensas as atividades nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e a Unidade Operacional Campestre da Faxina. As aulas e o funcionamento das outras atividades devem voltar no dia 17 de agosto.

Cerca de 26 mil alunos ficarão longe das cadeiras escolares em Colombo. As aulas retornariam nesta quinta-feira (30), mas a decisão vai adiar a volta dos estudantes para o dia 6 de agosto.

Piraquara, Campo Largo e Fazenda Rio Grande terão as aulas suspensas a partir de sexta-feira e devem retornar no dia 10 de agosto.

As escolas municipais de Almirante Tamandaré e Piraquara tiveram as aulas suspensas a partir desta quinta-feira (30), com retorno previsto para o dia 11 de agosto, caso haja liberação dos órgãos da saúde.

Escolas municipais e creches de Curitiba também adiaram a volta às aulas para o dia 10 de agosto. A medida afeta 140 mil alunos. Na rede pública de ensino, 1,4 milhão de alunos não vão freqüentar as escolas do Paraná.

O mesmo deve acontecer com as 1.960 escolas particulares no Paraná. A medida pode atingir até 530 mil alunos, sendo 330 mil da educação básica e 200 mil do ensino superior privado do Estado.