Foto: Rede Sul de Notícias

Colégio Estadual Amarílio: revezamento semanal.

Alunos de uma escola estadual de Guarapuava estão assistindo aulas de forma improvisada e fazendo revezamento por causa da falta de salas de aula. Uma vez por semana os alunos dos períodos da manhã, tarde e noite do Colégio Estadual Amarílio assistem às aulas em um laboratório de informática ou no saguão da escola. Isso porque uma das salas foi transformada no laboratório de informática e, para não fechar uma turma, o jeito foi se adaptar.

Segundo a diretora da escola, Cleunice Andrade, os alunos têm aula de educação física quatro vezes por semana. Assim, quando uma turma está na ginástica, outra usa a sala. Mas no dia de folga do professor de educação física, a solução foi se adaptar. ?Os alunos ficam apertados no laboratório de informática, até porque não é sempre que os professores precisam dos computadores para as aulas?, explicou a diretora.

O colégio sofre com a falta de espaço desde 2000, quando se mudou para um prédio próprio da Secretaria de Estado da Educação. ?O prédio é menor e daí pedimos a construção do ginásio de esportes. Para isso, foi preciso demolir a biblioteca. Daí a sala dos professores virou biblioteca?, explicou.

A reportagem de O Estado não conseguiu contato com a Secretaria da Educação sobre o assunto. Mas Cleunice contou que ontem foi informada pelo Núcleo Regional de Educação que o projeto de engenharia para ampliação do colégio já foi aprovado e que agora só falta o aval do secretário de Estado da Educação, Maurício Requião, para a liberação da verba de R$ 680 mil.

?Com certeza, este ano começa a construção?, contou. O projeto contempla uma nova cozinha, banheiros para os alunos, um laboratório de ciências, biblioteca, sala dos professores, secretaria, sala de direção e sala pedagógica. ?Não tem mais espaço físico para construção de salas de aula?, lembrou a diretora.