A noite dessa sexta (12) foi marcada pela gravidade de dois acidentes consecutivos na PR-234, entre os municípios de Assis Chateaubriand e Toledo, na região oeste do Paraná. Duas pessoas morreram no local e mais seis ficaram feridas, incluindo dois policiais militares rodoviários. Entre as vitimas, pelo menos três apresentam quadro grave de saúde, sendo que um é militar.

A primeira ocorrência foi uma colisão entre um Fox e um Uno. De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, as equipes atendiam a esse acidente fora da pista com a ajuda da Defesa Civil de Assis Chateaubriand, que fazia a limpeza, e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que socorria uma moça ferida levemente, quando a segunda batida aconteceu. “A princípio essa vítima nem queria ser encaminhada ao hospital. Foi quando veio uma carreta em alta velocidade e bateu nos três veículos oficiais e mais o Fox, que já estava envolvido na outra batida”, conta o sargento Wilson Manoel da Nóbrega, comandante do Posto da PRE de Assis Chateaubriand.

Foto: Riomar/Colaboração.
Foto: Riomar/Colaboração.

Trata-se de uma Scania LS que, mesmo vazia, provocou um grande estrago. Com o impacto, o Fox bateu na viatura da PRE, que foi completamente destruída e acabou tombando sobre outra jovem que morava nas imediações e estava no local para tentar ajudar as equipes na ocorrência. Essa moça morreu na hora, assim como um familiar dela, também atingido. Um outro parente acabou se ferindo, mas foi socorrido e encaminhado ao hospital.

Antes de parar, o caminhão ainda colidiu contra a ambulância do SAMU e atropelou outras pessoas, sendo dois policiais rodoviários naturais de Campo Mourão e Umuarama e duas pessoas que estavam em um dos carros do acidente anterior. Já o caminhoneiro, que saiu ileso, foi submetido ao teste de alcoolemia. “Ele apresentou 1,33 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões e foi preso em flagrante. Agora ele está na carceragem da Delegacia de Assis à disposição da Justiça”, conta o sargento.

Foto: Colaboração/Riomar.
Foto: Colaboração/Riomar.

Limites

O motorista flagrado com nível alcoólico de até 0,3 miligramas por litro de ar expelido recebe multa, tem o veículo apreendido e perde a carteira de habilitação. Acima disso, a pessoa é presa por um período que varia de seis meses a um ano, que é o caso desse caminhoneiro.

Desfecho

Diante do desastre, várias outras equipes de socorro foram mobilizadas. Os sobreviventes foram levados para hospitais da região. As duas vítimas em estado grave estão nos hospitais HCO e Bom Jesus, em Toledo, e o policial foi encaminhado para o Hospital Universitário de Cascavel. Já os corpos dos mortos foram recolhidos pelo Instituto Médico-Legal de Toledo.