Andar mais rápido nas estradas pode render baita dor-de-cabeça para os apressadinhos. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) prevê o aumento de 740% no número de equipamentos de fiscalização nas estradas não pedagiadas em todo o Brasil, passando de 321 para 2.696 dispositivos, a partir de 2010.

Em todo o País, serão instaladas 1.130 barreiras eletrônicas para controlar a velocidade em áreas urbanas, 1.100 radares fixos para monitorar áreas rurais e mais 466 para controle de avanço de sinal vermelho. O cálculo prevê que os 1.297 quilômetros de estradas nas mãos do governo contarão com um radar a cada 18 quilômetros.

A instalação dos equipamentos será por meio de licitação nacional, lançada no dia 21 do mês passado e que se estende até o dia 8 de outubro, no sistema de empreitada por custo unitário.

O investimento total para a aquisição desse maquinário será de R$ 1,4 bilhão e com verba proveniente do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O lote sete, no qual o Paraná está incluído, ao lado de São Paulo e Santa Catarina, está avaliado em R$ 108,6 milhões.

Reforço

O Paraná deverá receber 18 barreiras eletrônicas, 39 radares fixos e 15 equipamentos para controle de avanço de sinal vermelho. Ao todo, o Estado receberá 72 equipamentos, contra os 20 disponibilizados atualmente.

As barreiras eletrônicas serão instaladas nas BRs-153, 376, 469 e 476. Os radares fixos estarão nas BRs-153, 158, 272, 373, 376, 469, 476 e 487, enquanto o controle de avanço de sinal vermelho será colocado nas BRs-116, 376 e 476.

A licitação, para reforçar a segurança nas rodovias nacionais, aumentará o número desses aparelhos em pelo menos oito vezes se comparado a 2007. Todos os estados serão contemplados com os novos dispositivos e o edital pode ser encontrado no endereço eletrônico www.dnit.gov.br.