O Paraná fechou o ano de 2001 com 348.249 crianças com idade entre 5 e 17 anos trabalhando. Desse total, 52,4% (182.638) não eram remuneradas. O Estado é o oitavo do País em quantidade de trabalhadores infantis, só perdendo para São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Maranhão. Os dados fazem parte da pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em conjunto com a OIT (Organização Mundial do Trabalho) divulgada ontem.

O estudo traz ainda outras informações, como a carga horária e a escolaridade das crianças. No Paraná, 36,8% (128.082) das crianças trabalham 40 horas semanais ou mais; 35,2% (122.642) até 20 horas e 27,9% (97.161), entre 21 e 39 horas. Em comparação com os dados nacionais, as crianças no Paraná trabalham mais: a média nacional é de 41,7% até 20 horas; 33,5%, 40 horas ou mais e 24,7%, entre 21 e 39 horas.

Em todo o Brasil, trabalhavam 5,5 milhões de crianças de 5 a 17 anos em 2001, segundo o IBGE e a OIT. Quase a metade (48,6%) não recebiam nenhuma remuneração pelos serviços prestados. De acordo com a pesquisa, Alagoas é o Estado com o maior índice de trabalho infantil não remunerado (71,9% do total de crianças que trabalhavam), seguido pelo Maranhão (71,7%).

Ao todo, 2,23 milhões de crianças e adolescentes de 5 a 14 anos trabalhavam em 2001 – o correspondente a 6,8% do total de crianças brasileiras. Nesse mesmo período, 5,5 milhões com idade entre 5 e 17 anos trabalhavam no país (12,7% da população e 7,2% do total de trabalhadores em todas as idades no país). Este número caiu desde 1992, quando 19,6% das crianças e adolescentes exerciam algum trabalho (8,4 milhões).

O Nordeste é a região que concentrou em 2001 a maior participação de trabalho entre as pessoas de 5 a 17 anos, com 16,6% de crianças e adolescentes. No Sul, 15,1% das crianças e adolescentes trabalhavam. A região Sudeste apresentou a menor participação de trabalho infanto-juvenil (9,3%).

O levantamento foi realizada a partir dos dados da Pnad (Pesquisa Nacional de Amostras em Domicílio), realizada periodicamente pelo IBGE.