Uma denúncia de irregularidade na administração municipal chamou a atenção dos moradores da cidade de Tomazina, no Norte Pioneiro do Estado. Segundo a denúncia, a plaqueta de identificação do motor de uma draga que retira areia de rios por meio de sucção e que era utilizada por uma empresa da cidade, coincide com o do motor de um dos ônibus da Prefeitura.

A draga é utilizada pela empresa “Porto de Areia Faria”, de propriedade de Ineide Pereira Machado Faria, cunhada do prefeito da cidade, Luiz Faria. A empresa fornece a areia retirada para a fabricação de telhas e tijolos em olarias da região.

O problema teria começado quando três motores de ônibus municipais foram encaminhados para conserto em uma mecânica da região, na cidade de Siqueira Campos. Logo após a reforma, o motor Mercedes-Benz, de plaqueta de identificação n.º 376.953-10-147297, não teria voltado para o pátio municipal. Após denúncias anônimas, a delegacia da cidade apurou o caso e constatou que o motor tinha sido colocado na draga da empresa. O motor é mais potente do que o utilizado pela empresa regularmente.

O escrivão de polícia João Roberto de Carvalho, que foi à empresa e constatou a presença do motor, afirmou que as investigações continuam. O motor já foi apreendido e alguns depoimentos ainda serão realizados. Ele também informou que o mecânico que realizou a reforma já prestou depoimento. “O mecânico disse que estava arrumando o motor da draga que apresentava problemas. Enquanto não ficava pronto, ele trocou os dois até que tudo se solucionasse e as trocas fossem desfeitas”, diz.

Prefeitura

O prefeito da cidade, Luiz Farias, afirma que tudo não passou de um engano. Ele diz que, na verdade, o motor foi colocado sem que ele soubesse. O mecânico responsável pela reforma arrumou dois motores e ficou com um terceiro que precisava de um acompanhamento.

Na mesma época, o motor que era utilizado pela empresa de areia teve problemas e também foi mandado para conserto. Enquanto este estava sendo consertado, o mecânico substituiu o motor da draga da empresa até o outro ficar pronto.

Luiz também afirmou que isso pode ter sido um golpe político para que ele perca a eleição deste ano. “Isso já virou uma rotina na cidade. Desde o começo do ano, algumas cartas foram soltas na cidade afirmando que aconteciam irregularidades. Mas tudo foi solucionado. Com certeza isso foi feito com intenções políticas”, completa.