O Papa João Paulo II canoniza em Roma, no domingo, mais seis santos. Entre eles o padre italiano João Luís Orione, que foi missionário no Brasil. Graças a sua filosofia de expressar a fé por meio de obras, várias casas de apoio aos carentes foram criadas pelo País. Em Curitiba, o Pequeno Cotolengo – Dom Orione cuida de pessoas com necessidades especiais desde 1965.

O diretor do Pequeno Cotolengo, padre Pedro Bortolini, afirma que a canonização é motivo de muita alegria para a congregação, hoje com mil missionários. “Propicia um momento de reflexão do nosso trabalho, se ele está correspondendo à missão iniciada por dom Orione”, diz.

Dom Orione nasceu na pequena cidade de Pontecurone (Alexandria), em 23 de junho de 1972. Passou a infância em um ambiente extremamente pobre. Da mãe herdou a religiosidade e do pai a preocupação social e o descontentamento com os políticos da época. Sua formação religiosa começou em 1885 e terminou em 1893, depois de passar por três congregações, a última na diocese de Tortona.

Na Europa criou várias entidades assistenciais, como colônias agrícolas, de artesãos, casas de caridade e pequenos cotolengos. Também fundou a Pequena Obra da Divina Providência, congregação religiosa de padres, freiras, e irmãos leigos para formação de missionários no mundo todo. Hoje a congregação atua em 33 países.

No Brasil, os seus primeiros missionários chegaram em 1914. Mas em 1921 ele veio ao País e abriu várias instituições de caridade. Hoje, são mais de 100 espalhadas pelo Brasil. No Paraná a sua presença foi sentida na década de 50, quando seus missionários começaram a evangelização. A primeira obra foi a criação de uma paróquia no bairro Santa Quitéria. Hoje são oito instituições no Estado, entre assistenciais e de formação religiosa. O Pequeno Cotolengo é uma delas e abriga 238 portadores de necessidades especiais, com idade entre 8 meses e 60 anos, que foram abandonados pela família. Com o objetivo de desinstitucionalizar essas pessoas já foram criadas seis casas-lares, onde as crianças vivem com uma mãe social. O projeto para a ampliação da proposta está em andamento.

Milagres

Em 7 de julho de 2003 foi reconhecido um dos milagres de dom Orione. O italiano Pierino Pennaca estava com câncer pulmonar, sendo desenganado pelos médicos. No entanto, depois que o filho começou a pedir ajuda ao padre, Pierino é curado. No Paraná existem vários relatos sobre graças concedidas pelo santo. Um deles é relatado na própria Paróquia de Santa Quitéria em 1976: depois de ter a filha internada num hospital de Blumenau em coma profundo, com os órgãos vitais comprometidos e respirando por aparelhos, uma senhora começou a fazer orações a dom Orione. No outro dia, a jovem já estava conversando normalmente com seus familiares.