A comissão eleitoral da escolha do ouvidor de Curitiba definiu, nesta quinta-feira (11), a lista tríplice que será sabatinada pelo plenário da Câmara Municipal na próxima segunda (15). Foram eleitos o advogado Clóvis Augusto Veiga da Costa (seis votos), a jornalista Diocsianne Correia de Moura (quatro votos) e o advogado Maurício de Santa Cruz Arruda (três votos).

Cada um dos nove integrantes da comissão eleitoral escolheu três candidatos, em voto aberto. Arruda e o também advogado Marcello Roberto Lombardi haviam recebido três votos na primeira contagem. No desempate, ele teve seis das nove indicações para compor a lista tríplice. “A eleição tem sido transparente e democrática. Tivemos 33 inscritos e fiquei surpreso com seus currículos e o alto nível da discussão”, disse o vereador Pier Petruzziello (PTB), que presidiu a reunião..

Natural de Curitiba, Clóvis Costa tem 40 anos de idade. Ele é graduado em direito, especialista em direito processual e administração esportiva e mestre em direito do Estado. Na administração pública, é assessor legislativo do quarto-secretário da Câmara de Curitiba, Jairo Marcelino (PSD). Já atuou na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) e na Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), entre outros órgãos. Professor licenciado do curso de Direito das Faculdades Integradas do Brasil (Unibrasil).

Para Costa, a Ouvidoria não pode ser “um serviço de 156, para a pessoa ligar e solicitar a pode de uma árvore”. “É um instrumento de democracia participativa. Sem dúvida uma de suas atribuições é ouvir as reclamações e encaminhá-las aos órgãos competentes, mas também tem que ter um papel ativo na efetivação dos direitos da população”, declarou.

Diocsianne Moura é graduada em jornalismo, especialista em gestão da comunicação empresarial e mestre em comunicação e linguagens. Natural de Curitiba, tem 32 anos e foi criada na Vila Zumbi dos Palmares, em Colombo, e é voluntária de ONGs. “Não tenho perfil político, o que trago em mim é vontade de servir a comunidade”, afirmou. Ela defendeu que o ouvidor precisa conhecer a realidade da cidade, como o transporte público. “Quero ser uma agente atuante.”

Maurício Arruda também é natural de Curitiba. Aos 40 anos, o advogado é ouvidor da Guarda Municipal. É especialista em direito penal e criminologia e pós-graduando em gestão da segurança pública. Foi primeiro suplente a vereador pelo PSC, na legislatura anterior. O advogado também destacou sua atuação como radialista e professor convidado da Escola Superior da Polícia Civil do Paraná. “Desejo que a Ouvidoria seja humana, um elo da sociedade com o Poder Público”, disse.