Os estudantes universitários com vulnerabilidade social vão poder acompanhar as atividades remotas das instituições. Isso porque a Receita Federal doou 3.200 smartphones de apreensões de contrabando para as universidades estaduais do Paraná. Todos os aparelhos foram habilitados com pacote de dados 3G/4G e serão entregues para os alunos matriculados em cursos de graduação presencial.

LEIA TAMBÉMVestibular 2021: veja a data das provas nas universidades estaduais do Paraná

Os celulares foram distribuídos para seis instituições. A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) foi contemplada com 300 aparelhos, a Estadual do Paraná (Unespar) recebeu 1.200, a de Maringá (UEM) recebeu 450 celulares, a do Oeste do Paraná (Unioeste) recebeu 80, a Estadual do Norte do Paraná (UENP) recebeu 901 aparelhos e a do Centro-Oeste (Unicentro) recebeu 300 celulares.

De acordo com o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, os smartphones vão assegurar que os estudantes não percam o ano letivo. “Esse desafio tem sido assumido com responsabilidade pelas nossas instituições. A parceria com a Receita Federal é extremamente relevante nesse processo de inclusão digital”, ressalta.

Para o auditor fiscal da Receita Federal, Reinaldo Cesar Moscato, a doação dos aparelhos eletrônicos para as universidades surgiu de uma demanda do Governo do Estado. Os aparelhos vão facilitar a inclusão dos estudantes às atividades remotas das instituições, “principalmente para os alunos mais carentes, que não têm condições de adquirir os equipamentos necessários para as atividades remotas”, destacou.