A média anual de mortes em acidentes de trânsito no Paraná é de 3.200, se forem contabilizadas, além das 1.500 mortes instantâneas, as pessoas que morrem durante o atendimento médico e nos hospitais. Reduzir esses números é a meta da campanha Mutirão Pela Vida, lançada ontem no Palácio Iguaçu, pelo Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR).

A campanha, segundo o diretor do Detran, Marcelo Almeida, pretende atuar em cinco ações estratégicas. “A primeira é a redução de acidentes fatais”, disse, acrescentando que em 85% dos acidentes são registrados apenas danos materiais, em 14% danos materiais e feridos, e em 1% dos casos vítimas fatais. A segunda será a educação no trânsito, focada principalmente para jovens até 14 anos e pessoas com mais de 50 anos. “Os jovens precisam estar conscientizados quando tiverem maioridade para dirigir. Já os idosos são as principais vítimas de atropelamento, especialmente em cidades do interior que não possuem calçadas para pedestres”, ponderou Marcelo Almeida.

O programa também quer investir na chamada paranização do Detran, ou seja, padronizar todas as unidades e ações no Detran do Estado. Além disso, comenta o diretor do Detran, capacitar pessoas para atuarem como colaboradores na educação no trânsito. Para isso, serão oferecidos cursos de pós-graduação para funcionários públicos. Mas para que o programa de redução de acidentes seja eficiente, diz Marcelo Almeida, é preciso obter dados estatísticos. “Infelizmente o Paraná não dispõe de um banco de dados que reflita a realidade da violência no trânsito, pois os agentes evolvidos no atendimento e registro dessas ocorrências não se comunicam”, afirmou. Para atender essa demanda, será criado um observatório que vai reunir todas as informações sobre o trânsito para que seja possível traçar um diagnóstico e alternativas na redução das estatísticas.

Para o governador Roberto Requião o trânsito é uma questão de segurança pública, e é preciso diminuir os acidentes, já que o Paraná está entre os estados com maior índice de acidentes com mortes. “Precisamos dar ênfase na educação dos jovens motoristas, e afastar o álcool da direção”, comentou. Para isso, nos próximos meses serão realizadas blitz educativas durante os fins de semana, nas dez maiores cidades do Paraná. Só neste ano serão investidos na campanha R$ 2,5 milhões. Para 2004 a previsão é investir R$ 30 milhões, recursos que serão arrecadados das multas de trânsito.