Um deslizamento de terra na madrugada de ontem no bairro Jardim Kosmos, em Curitiba, atingiu três casas, que foram interditadas. Ninguém ficou ferido. Ontem as famílias estavam desocupando a área e indo para a casa de parentes. Segundo o coordenador de regularização fundiária da Companhia de Habitação (Cohab), Marco Aurélio Becker, não é comum ocorrer deslizamento de terra em Curitiba porque o solo é argiloso. Mas existe um plano de reestruturação da área atingida que possui relevo acidentado.

O deslizamento ocorreu por volta das 2h da manhã. A terra que sustentava a casa no alto do morro acabou atingido outras duas que ficavam logo abaixo. Creuza Domingos, 45 anos, conta que acordou com o barulho, ficou com medo e chamaram o Corpo de Bombeiros. Ela mora no lugar há 8 anos e nunca tinha acontecido nada parecido. “Não sei para onde vou, eles estão carregando as mudanças não sei para onde”, falou ainda um pouco desorientada. Claudemir Florêncio Dias, 23 anos, morava em uma das duas casas que ficam abaixo, que teve um banheiro destruído. “Fiquei toda a madrugada no frio com os meus filhos pequenos. Ainda há riscos de desabar”, diz Claudemir. Ele disse que iria para a casa da mãe. As três famílias vão ser beneficiadas pelo plano de reestruturação.

Curitiba não tem muitas áreas sujeitas a deslizamento devido a consistência do solo que é argiloso. Mas no Jardim Kosmos e Vila Nori 334 famílias vivem em áreas que não apresentam segurança, sujeitas a acomodação de solo. “Eles escavam o terreno para morar. A tendência é que ocorra uma acomodação de terra”, fala. Até o fim do ano a área deve ser regularizada e o plano de melhorias elaborado, dando maior segurança. Só vão ser relocadas famílias que moram às margens de rios e fundos de vale. As famílias vão pagar pelos terrenos.

Também correm risco cerca de 70 famílias que moram na Vila Saibreira, no Abranches, onde pode ocorrer deslizamentos. Mesmo assim, não existe nenhum plano para dar mais segurança ao local ou retirar as famílias.