A revisão do Plano Diretor de Curitiba, anunciada na sexta-feira (14), contará com ampla participação popular. Serão 19 audiências públicas e dez oficinas nas Regionais, além de outros eventos, mecanismos e procedimentos que têm o propósito de aproximar a população desse processo.

“A revisão do Plano Diretor é um exercício de cidadania que deve contar com a participação de toda a comunidade. Afinal, esse é um momento histórico, no qual estamos repensando e construindo o futuro da nossa cidade”, disse o prefeito, Gustavo Fruet.

O anúncio, realizado na Escola Municipal Papa João XXIII, no bairro Portão, coincide com o lançamento do projeto Urbanista Mirim, que visa desenvolver nas crianças e jovens a habilidade de avaliar seus bairros e a cidade de Curitiba sob a perspectiva do planejamento urbano, por meio da observação e análise crítica do espaço em que vivem.

O anúncio do processo de revisão do Plano Diretor transformou-se numa espécie de “audiência pública” informal. 

“Este é um dia histórico para Curitiba. Pela primeira em nossa cidade a discussão sobre o Plano Diretor começou fora da prefeitura, numa escola, entre os estudantes. Essa participação é fundamental. Tudo o que for decidido na revisão do Plano Diretor vai impactar a vida daqueles que vivem em Curitiba nos próximos 10, 20 ou 50 anos”, disse Fruet.

Fruet também assumiu o compromisso de voltar à mesma escola quando estiver pronta a minuta de Lei do Plano Diretor que será encaminhada para a Câmara Municipal. “Faço questão de que vocês participem de todo o processo, que acompanhem tudo”, enfatizou Fruet.