Foto: Ciciro Back/O Estado

Cion: depois da profissionalização, empregabilidade é o principal fator para o aumento da procura.

Os últimos censos escolares apontam um crescimento de 28,2% na procura pelos cursos profissionalizantes de ensino médio na região sul do Brasil. De 2004 para 2005, as matrículas subiram de 128.921 para 165.387. No Paraná, esse aumento foi bem maior do que nos demais estados. Segundo os dados, no mesmo período, passaram de 32.803 para 54.858, o que representa uma expansão de 67,2%.

Este ano, de acordo com a Secretaria de Estado da Educação (Seed), essa procura continua a subir. Pela rede estadual, são ofertados 391 cursos profissionalizantes de nível médio. No Estado, são 62.116 os matriculados nos 264 estabelecimentos de 147 municípios que oferecem os cursos.

Segundo informações da Seed, na década de 1990, a educação profissional do Estado alcançou o ápice: naquela época, o Paraná chegou a oferecer 1,1 mil cursos profissionalizantes e ter mais de 185 mil matriculados. Passada essa época, a educação profissional não teve muito destaque e somente em 2003 voltou a crescer. De 13.557 alunos matriculados em 2003, passou a 26.336 em 2004, e saltou para 51.634 no ano passado, apenas na rede estadual.

Como explica a assessora pedagógica do Departamento de Educação Profissional da Seed, Fátima Godinho, são oferecidas pelo Estado duas modalidades de ensino profissional: o integrado ao ensino médio e o subseqüente ao mesmo. Segundo ela, tanto um quanto o outro são sempre muito procurados. ?A procura é muito grande. Talvez porque as condições atuais da população exigem que os jovens busquem mais cedo a profissionalização, como um elemento a mais para facilitar o ingresso no mercado de trabalho. A procura é tão alta que, às vezes, é preciso até fazer entrevista na matrícula?, afirma Fátima.

UTFPR

A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) é tradicional em cursos profissionalizantes em nível médio. Em todo o Paraná, nos sete campi, são oferecidos 13 cursos técnicos integrados ao ensino médio, nos quais estão matriculados 520 alunos. Em 2007, oito novos cursos técnicos serão abertos. No campus de Curitiba, são ofertados dois cursos – de gestão de pequenas e médias empresas e construção civil. Em 2007, serão abertos os cursos de mecânica, elétrica e segurança no trabalho.

Segundo o pró-reitor adjunto de Graduação e Educação Profissional, Cion Cassiano Basso, somente este ano é que houve na instituição o retorno da educação profissionalizante de nível técnico, integrada ao ensino médio. No antigo Cefet, também a procura só tem aumentado. ?Temos a tradição de oferecer cursos que permitem que o aluno saia profissional e o que a gente observa é que muitos deles já saem empregados. Acredito que a empregabilidade, depois da profissionalização, é o principal fator para o aumento da procura?, explica Cion.