Pela quarta vez consecutiva Curitiba tem o maior Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) entre todas as cidades brasileiras. O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (15) e mostra que a cidade obteve índice de 5,8 na avaliação dos anos iniciais do ensino fundamental (1ª ao 5º ano). O Ideb é o indicador criado pelo governo federal para medir, a cada dois anos, a qualidade do ensino oferecido nas escolas públicas.

“Nós avançamos em todas as avaliações de Ideb já feitas pelo governo federal. E esse novo resultado mostra que estamos firmes no compromisso de oferecer ensino de qualidade para construirmos uma cidade melhor”, afirma a secretária municipal da Educação, Liliane Sabbag. “A educação é prioridade na Prefeitura de Curitiba. Priorizar a educação é apostar na qualidade de vida e no desenvolvimento dos cidadãos”.

O índice de Curitiba ficou acima da média nacional de 5,0 e vem crescendo a cada avaliação. Em 2009, Curitiba teve índice de 5,7. Em 2007, de 5,1, e em 2005, de 4,7.

Liliane diz que os números alcançados por Curitiba são resultado do esforço conjunto dos profissionais da Educação. “Com dedicação e comprometimento, eles fazem com que Curitiba se mantenha como referência na oferta de ensino de qualidade. Trabalhamos para que 100 mil estudantes dos mais diferentes bairros e comunidades tenham as mesmas oportunidades e estudem em escolas municipais de qualidade, para aprenderem de fato.”

O comprometimento dos profissionais se reflete em escolas como a São Luiz, no Água Verde, e a Presidente Pedrosa, na Vila Izabel. As duas conquistaram o maior Ideb da rede municipal: 7,5.

“Temos o comprometimento de todos os profissionais, os professores, pedagogos, funcionários do administrativo para fazer com que os nossos alunos aprendam e evoluam”, diz a diretora da escola, Simone Sovinski da Cunha. “Na escola São Luiz não desistimos dos alunos, ofertamos reforço para os que precisam melhorar os conteúdos e esse trabalho tem dado certo”.

Índice

O Ideb é calculado a partir de dois fatores que interferem na qualidade da educação: rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e médias de desempenho na Prova Brasil, feita pelos alunos das escolas públicas em 2011.
Para que índice de uma escola melhore é preciso que o aluno aprenda, não repita o ano e frequente as aulas.

Investimentos

Em 2011, ano da mais recente avaliação do Ideb, os investimentos na educação foram de R$ 752 milhões, um crescimento de quase 13% em relação a 2010 (R$ 668 milhões).

Os recursos são investidos na construção, reforma e ampliação de unidades escolares e a capacitação e contratação de profissionais, em busca da melhoria da qualidade do ensino.

Os profissionais da Educação também se comprometeram em importantes ações para assegurar às crianças, aos jovens e adultos uma educação de qualidade.

“Em 2011, a participação e conclusão nos cursos de formação continuada aumentaram, houve diversidade de temáticas apresentadas e trabalhadas no Projeto Escola & Universidade, todas as vagas de estudo para mestrado e doutorado foram preenchidas e nossos mestres e doutores retornaram à rede para dar importante contribuição em diferentes áreas”, lembra Liliane.