Escolher a creche dos filhos nunca é tarefa fácil, principalmente para os pais de “primeira viagem”. Para evitar erros e problemas futuros, é muito importante que o casal tome alguns cuidados especiais, visitando vários estabelecimentos e conversando com pais que já tenham crianças matriculadas na instituição.

Segundo a pediatra Luciane Marques Fioravanti Morais, que já viveu a experiência com o filho de 8 anos, os pais devem preferir visitar os estabelecimentos em horários de aulas. Assim, eles poderão avaliar melhor a realidade dos locais, as atividades realizadas, o comportamento dos pedagogos e o grau de satisfação das crianças presentes.

“Eu visitei de quatro a cinco creches antes de escolher onde matricularia meu filho”, conta Luciane. “Os pais devem prestar muita atenção em questões ligadas à segurança e à higiene dos locais. Além disso, devem saber se o número de funcionários é adequado ao número de crianças atendidas.”

Segundo a pediatra, deve haver um adulto para cada cinco crianças de três meses a um ano de idade; um para cada cinco de um a dois anos; outro para cada dez de dois a quatro anos; e outro para cada doze com idades de quatro a seis anos. Devem haver funcionários específicos para cuidar das crianças pequenas e específicos para lidar com as maiores.

No que diz respeito a questões de segurança, é importante que a creche tenha escadas com grades, brinquedos plastificados e guardados em locais adequados, remédios e produtos de limpeza em locais de difícil acesso, grades nas janelas e cozinha afastada dos locais onde normalmente as crianças ficam.

Com relação à higiene, os pais devem verificar, além da limpeza dos ambientes, se os pedagogos lavam as mãos cada vez que trocam as fraldas das crianças ou, se fazem o serviço em série, se lavam as mãos quando passam de uma criança a outra. “O ato de lavar as mãos antes e depois da troca de fraldas evita que as crianças tenham gastrointerite (diarréia). É um problema bastante comum dentro das creches”, explica Luciane.

Espaço

Para evitar otites, meningite, pneumonia, sinusite ou mesmo resfriados comuns, as creches devem ser ensolaradas e espaçosas. De acordo com a pedagoga, o ideal é que para cada criança de dois a seis anos de idade exista de um metro e meio a dois metros e meio quadrados de espaço. “Também é essencial que os pais verifiquem se a creche em que querem matricular o filho conta com os serviços de um assessor de saúde. Este pode identificar doenças transmissíveis e verificar, por exemplo, a carteira de vacinação das crianças matriculadas, evitando que uma criança doente passe o problema para outra”, declara Luciane. Antes de efetuar matrícula, os pais têm o direito de saber quando a vigilância sanitária realizou a última visita ao local, além de verificar se a creche está devidamente inscrita no Ministério da Educação (MEC).