Foto: Daniel Derevecki

O cronograma para o projeto de dois anos está sendo respeitado e já apresenta resultados que a gente não esperava. "Paulo Nigro, presidente da Tetra Pak".

No primeiro trimestre deste ano, a coleta seletiva de embalagens longa-vida aumentou 6% no Paraná. O resultado veio com o início dos trabalhos da parceria entre a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e a Tetra Pak, que produz esse tipo de embalagem.

O acordo foi firmado há seis meses, com o objetivo de garantir o escoamento sustentável para a reciclagem das embalagens. Os primeiros resultados foram apresentados ontem.

O presidente da Tetra Pak, Paulo Nigro, destaca que o aumento na coleta de embalagens longa-vida foi uma resposta muito positiva em pouco tempo de trabalho. ?Só com as visitas e as capacitações para o pessoal separar corretamente já foi possível ter esse rendimento. Outro ponto significativo foi o aumento, de 55 para 81, de cooperativas e comércios que recebem ou adquirem embalagens longa-vida?, comenta.

Desde que a parceria começou, o valor da tonelada fardada das embalagens saltou de R$ 50 para R$ 300, o que também estimulou o recolhimento. ?O cronograma para o projeto de dois anos está sendo respeitado e já apresenta resultados que a gente não esperava?, afirma Nigro. Por enquanto, os trabalhos estão concentrados em nove municípios paranaenses, que abragem cidades menores. A meta é chegar em 22 municípios estruturados.

Ontem também foi lançado o site Rota da Reciclagem (www.rotadareciclagem.com.br), uma ferramenta online para consulta de postos de entrega, comércio, cooperativas e outros componentes da cadeia de reciclagem. ?O acesso no site é fácil. O cidadão pode digitar o endereço da sua casa e o site vai indicar os locais mais próximos onde ele pode deixar as embalagens que separou. Abrange, além dos cidadãos, o pequeno varejo e as cooperativas. Ou seja, toda a cadeia está envolvida dentro de uma fase que é tão importante. Muita gente nem sabia que a embalagem longa vida é reciclável?, relata Nigro.

Do total recolhido neste período, 20 toneladas foram recicladas e transformadas em papel. Tornou-se matéria-prima para a impressão do livro Versão Verde, uma espécie de manual do Programa Desperdício Zero, da Sema. A publicação será entregue para os participantes dos treinamentos e capacitações dentro do programa, segundo o coordenador do Desperdício Zero, Laerty Dudas, que fez uma ótima avaliação dos resultados da parceria com a Tetra Pak. Além de papel, a partir da embalagem longa-vida é possível fazer diversos produtos, como pranchetas e porta-retratos.

Leia mais:

Tetra Pak firma parceria com a secretaria do Meio Ambiente
Adiada solução para caso de embalagens longa-vida
Reciclagem de resíduos da construção