Em depoimento prestado ontem ao juiz da 3.ª Vara Criminal de Londrina, José Marcos de Moura, o delegado afastado do Trabalho no Paraná, Celso Soares da Costa, negou envolvimento no esquema de desvio de dinheiro da extinta Comurb (Companhia de Desenvolvimento Urbano de Londrina). Costa está preso desde o dia 23 de setembro e há cinco dias foi transferido de Curitiba para Londrina, onde divide com outras seis pessoas uma cela no 2.º DP.

O depoimento do delegado afastado ao juiz José Marcos de Moura durou cerca de 50 minutos e Costa chegou a chorar. Segundo a denúncia criminal do Ministério Público, Costa foi beneficiário de R$ 50 mil ganhos em uma licitação forjada na antiga Comurb (atual CMTU), em que a empresa da qual era dono, a Celta System, forneceria um software de gerenciamento de multas de trânsito. Costa está afastado de sua função na Delegacia Regional do Trabalho (DRT). O Ministério do Trabalho criou uma auditoria para apurar supostas irregularidades cometidas por ele.